Receba as notícias do montesclaros.com pelo WhatsApp
montesclaros.com - Ano 23 - sábado, 4 de fevereiro de 2023

Governador afastado de Brasília tem busca e apreensão em casa e escritório de advocacia, e diz que "não há o que temer"

Sábado 21/01/23 - 6h52


Governador afastado do DF é alvo de busca e apreensão da PF

Ibaneis é investigado no inquérito sobre atos golpistas




A Polícia Federal (PF) cumpriu na tarde de ontem um mandado de busca e apreensão na casa do governador afastado do Distrito Federal Ibaneis Rocha (MDB). As buscas também foram realizadas no Palácio do Buriti, sede do governo local. As equipes da PF chegaram na residência por volta das 14h e saíram às 16h30. O antigo escritório de advocacia de Ibaneis também foi alvo das buscas.

Ibaneis é investigado no inquérito aberto pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes, que também autorizou as buscas, para apurar a conduta das autoridades de segurança do Distrito Federal nos atos golpistas de 8 de janeiro.

Além do governador, Fernando de Sousa Oliveira, ex-secretário interino de Segurança Pública do DF, também é alvo de buscas.

O afastamento do governador pelo prazo de 90 dias foi deferido para apurar a suposta omissão de Ibaneis e outras autoridades na contenção dos atos violentos na capital federal.

Após o afastamento, Ibaneis Rocha declarou que respeita a decisão do ministro e reiterou “fé na Justiça e nas instituições democráticas”.

Defesa
Em nota divulgada após a chegada dos agentes, os advogados Alberto Toron e Cleber Lopes afirmaram que as buscas vão demonstrar a inocência de Ibaneis.

“O governador sempre agiu de maneira colaborativa em relação à apuração dos fatos em referência, certamente será a prova definitiva da inocência do chefe do Executivo do Distrito Federal”, diz a nota.

Ibaneis também se manifestou pelas redes socais. O governador afastado disse que é inocente e não tem relação com “os lamentáveis fatos do último dia 8 de janeiro”.

“Não há nada que possa me ligar aos golpistas que atacaram os Três Poderes. Eu sempre me comportei de modo a colaborar com as investigações e mantenho a mesma postura. Cheguei a fazer um depoimento espontâneo à Polícia Federal, mostrando que não há o que temer”, concluiu. Por André Richter – Repórter da Agência Brasil

Compartilhe
Siga-nos nas redes sociais