Receba as notícias do montesclaros.com pelo WhatsApp
montesclaros.com - Ano 23 - sábado, 4 de fevereiro de 2023

Achado em lago de Pirapora o corpo de moça, de 20 anos, desaparecida depois de sair de boate

Quinta 19/01/23 - 11h47

Divulgação da Polícia Civil:

Jovem desaparecida em Pirapora é encontrada sem vida

Foi encontrado, nessa quarta-feira (18/1), em Pirapora, no Norte de Minas, o corpo de uma jovem de 20 anos que estava desaparecida desde o dia 15 de janeiro.

A mulher havia saído para uma festa na noite anterior e não retornou para casa. Parentes e moradores da região buscavam informações desde a data do desaparecimento.

O corpo foi localizado pela equipe do Corpo de Bombeiros, com suporte de cães farejadores.

Entenda o caso No dia 14 de janeiro, a jovem avisou a mãe que iria a uma festa em uma boate de Pirapora e, segundo testemunhas, aceitou o convite, juntamente com amigos e desconhecidos, para continuar a celebração na casa de um morador da região, no início da manhã do dia seguinte.

Por volta das 11h, a jovem decidiu, na companhia de uma amiga, ir embora. Imagens das câmeras de segurança mostram as duas já na rua em frente à residência, mas, em certo ponto, a vítima retorna para a casa, momento em que a amiga a perde de vista.

Alertada pela amiga, a mãe da vítima registrou boletim de ocorrência junto à Polícia Militar, e buscou a Delegacia de Polícia Civil em Pirapora.

"Ninguém tinha notícia dela, visto ela. A mãe foi até essa festa porque ela continuou ocorrendo e tentou procurar notícias da filha, mas não obteve informações do paradeiro dela", detalha a delegada responsável pelo caso, Daniela Martins.

O Corpo de Bombeiros local se prontificou a iniciar as buscas pela jovem, utilizando cães farejadores especialistas em encontro de desaparecidos, e a Polícia Civil iniciou, de imediato, investigações para o esclarecimento do caso. Foram realizadas oitivas para ouvir parentes e possíveis testemunhas, além da análise das câmeras de segurança da rua onde a segunda festa aconteceu.

A jovem foi encontrada, já sem vida, pela equipe do Corpo de Bombeiros, na manhã do dia 18 de janeiro, em um lago localizado no bairro Shekinah, região de difícil acesso e com mata intensa.

Após análise do local feita pelos peritos da Polícia Civil, o corpo foi liberado para o IML, onde segue sendo analisado.

A delegada Daniela Martins explica que as circunstâncias da morte ainda serão esclarecidas.

"O corpo foi encaminhado ao IML para verificar se houve alguma lesão interna, verificar realmente qual foi a causa da morte, se teve de fato interferência de algum ato de violência que essa jovem sofreu, ou se foi uma morte natural, ou se foi um mal súbito, isso tudo são hipóteses que vão sendo levantadas, mas a constatação só chegará com base do laudo pericial por parte do perito, juntamente com o laudo de necropsia, em conjunto com a investigação realizada por nós, autoridades policiais".

A PCMG informa também que pelo menos uma testemunha chegou a visualizar a jovem, sozinha e ainda com vida, a cerca de 300 metros do local onde o corpo foi encontrado.

Fake News

O caso, de grande repercussão no município, foi alvo de amplo debate na internet, o que acabou gerando um grande número das chamadas "fake news", notícias falsas, circulando pela rede.

Em coletiva, a equipe responsável pelas investigações deixou claro que não houve alteração nas imagens das câmeras de segurança que foram divulgadas pela população na internet: "Estão surgindo muitas informações sobre aparentemente haver corte nessa imagem, mas verificamos ser comum o sistema de monitoramento das residências ser um sistema de monitoramento sensor.

Então ele só filma quando há movimento ali na rua, em que aquela câmera possa captar naquele ângulo de visão daquela câmera. Então, as pessoas surgem naquelas imagens, elas não vêm em movimento continuo e aparecem caminhando. Elas surgem, o que foi o caso da imagem da vítima", esclareceu a delegada Daniela.

O delegado Fabiano Mazzaroto faz um alerta: "Temos percebido, nos últimos dias, muitas informações falsas que têm sido veiculadas e até prejudicaram em certa monta as investigações.

Chegaram a colocar pessoas em perigo, falando coisas que não são factíveis, e é importante frisar: qualquer informação vai sair oficialmente pela Polícia Civil".

"Nós estamos monitorando, a gente tem uma equipe de inteligência que monitora essa questão de redes sociais, de perfis, às vezes a pessoa acha que está respondendo com um perfil fake, que não tem o nome dela, mas nós conseguimos identificar isso.

Então, gostaria de alertar muito isso, cuidado com o que é falado nas redes sociais, porque isso pode virar um processo criminal contra quem pratica tais condutas", finalizou Daniela Martins.

***

Jornal Estado de Minas, de BH:

Morte de jovem que saiu para ir a boate é cercada de mistérios

Primeiros exames feitos no IML não apontam marcas de agressões no corpo e nem indícios de agressão sexual; caso ocorreu em Pirapora
Ivan Drummond

A Polícia Civil trabalha para juntar as peças que podem determinar a verdadeira causa da morte de Maria Eduarda Leal Antunes, de 20 anos. A jovem saiu de casa, na noite de sábado (14/01), para ir com uma amiga, a um boate, em Pirapora, no Norte de Minas. O corpo dela foi encontrado no Bairro Shekinah, na mesma cidade, na manhã de quarta-feira (18/1).

Segundo a delegada Daniela Muritiba, da 5ª Delegacia Regional de Pirapora, que preside o inquérito, até o momento, a morte da jovem está cercada de mistério.

Ela contou que não existem marcas de ferimentos ou agressões no corpo e nem sinais de estupro, o que ficou confirmado no exame de corpo de delito realizado no Instituto Médico Legal (IML).

Outros exames ainda serão realizados em material colhido no corpo. Existe, segundo ela, a possibilidade de que a morte tenha sido por mal súbito, mas tudo dependerá do resultado oficial dos exames que foram realizados no IML e que, por hora, estão em análise.

Paralelamente, a Polícia Civil conta com imagens de um vídeo em que há um lapso de dois minutos. Apesar do problema, a delegada não acredita que as imagens tenham sido apagadas, mas sim que tenha ocorrido um defeito no equipamento. A sequência mostra imagens após ao momento em que a jovem cai.


“Estamos procurando outras câmeras, em casas da redondeza, que possam nos ajudar a elucidar a morte”, diz a delegada.

Entenda o caso

Maria Eduarda saiu de casa na noite de sábado, em companhia de uma amiga, para ir a uma festa em uma boate. Elas ficaram no local o tempo todo e quando saíram de lá, foram à casa de de um homem. Também existem imagens da jovem na casa durante as comemorações.

Outro vídeo registra momentos por volta das 11h de domingo (15/1). Nestas imagens, Maria Eduarda caminha por uma rua erma e, assim que pára ao lado de um carro, entre uma árvore e um poste, ela desaparece da imagem. A impressão que se tem é que ela cai.

O corpo da jovem foi sepultado na tarde de quarta-feira (18/1), no Cemitério Municipal de Pirapora.

***

Jornal O Tempo, de BH:

Encontrado corpo da jovem que desapareceu depois de ir à boate em Pirapora

Ela saiu da boate com uma amiga e um homem da cidade
Isabela Abalen

O corpo da jovem Maria Eduarda Leal Antunes, de 20 anos, foi encontrado pela Polícia Civil na manhã desta quarta-feira (18), em uma região afastada do bairro Shekinah, em Pirapora, na região Norte de Minas Gerais. Maria Eduarda estava desaparecida desde o último domingo (15), após ir para uma boate na cidade.

A perícia oficial e outras equipes da Polícia Civil compareceram ao local onde o corpo foi encontrado para os trabalhos de investigação. A equipe descarta, inicialmente, que ela foi vítima de estupro. A causa da morte segue em análise.

Saiu da boate com uma amiga e um homem da cidade
Segundo a polícia, a jovem saiu da boate acompanhada de uma amiga e com um homem. Depois disso, não se teve mais notícias da desaparecida. “A amiga dessa jovem contou que elas estavam juntas na casa deste homem e que, depois das 23h, essa jovem não foi mais vista. Foi a última informação do seu paradeiro”, explicou a delegada Daniela Martins Muritiba.

Segundo ela, a desaparecida foi flagrada por imagens de câmeras de monitoramento de uma casa. Há um corte no vídeo de dois minutos. “Nesta imagem mostra a jovem caminhando pela rua e em determinado momento ela cai. Entretanto, essas imagens não estão completas. Estão faltando elementos que possam auxiliar na elucidação do fato”, complementa a delegada.

Compartilhe
Siga-nos nas redes sociais