Receba as notícias do montesclaros.com pelo WhatsApp
montesclaros.com - Ano 23 - sábado, 4 de fevereiro de 2023

Mural

Jornalismo exercido pela própria população

Deixe sua notícia neste Mural, clique aqui para enviar

Mensagem N°86608
De: Manoel Hygino Data: Quarta 1/2/2023 08:56:50
Cidade: Belo Horizonte

Hora de ação

Manoel Hygino

Não é de hoje que se conhece a situação dramática das populações indígenas da Amazônia. Fazemos de conta que ignoramos o que acontece, a existência de cenários dolorosos, trágicos, que a mídia vem oferecendo à nação, ao vivo pelas televisões. Também as demais nações ficam sabendo o que há por aqui.

Aprofundo-me no assunto, recorrendo sempre que necessário ao jornalista Aylé-Salassié Filgueiras Quintão, mineiro lá do Leste, das linhas divisórias da Zona da Mata, com uma experiência muito maior do que a minha na matéria. Ele tem percorrido terras brasílicas, há anos, mantendo contato com autoridades que tratam das questões indigenistas e com os próprios índios, para sentir de perto as vicissitudes com que se deparam os donos da terra, na época de Cabral.

Mas hoje os problemas são inteiramente outros, tribos enfrentam dificuldades e problemas que lhes foram trazidos pelos invasores, que lhes querem tomar as áreas que ocupam, roubando-lhes o sossego a que tinham direito.

As promessas e compromissos assumidos pelas autoridades não funcionam e o que se assiste pelas telas das TVs são um testemunho incontestável. A população, a esta altura, preocupa-se mais em conseguir reais para gastar no período mesmo que se aproxima.

Tudo isso leva, automaticamente, ao registro do publicado pelo companheiro de ofício na capital federal, como transcrevo, literalmente: “Ao desembarcar em Boa Vista, Roraima, um dos territórios brasileiros com maior concentração de cidadãos indígenas, em sua maioria, da nação Yanomami, ao mesmo tempo um dos mais depredados pelas frentes de garimpo, de desmatamento e da agricultura ilegais do País, o presidente Luís Inácio da Silva surpreendeu-se com o estado de abandono da população e enxergou uma calamidade pública, uma tragédia no campo da saúde, segundo ele mesmo. (...) Não bastasse, concomitante, o Covid, levado pelos brancos garimpeiros, havia matado 1.207 índios e contaminado 59.234 outros, conforme dados do Comitê Nacional pela Vida e Memória Indígena. A malária, endêmica, infecta a região e já há registros dos dois últimos anos de 11.500 casos.

Mais gritante ainda era a morte de 507 crianças, sobretudo por falta de alimentação e de atendimento médico. Por recomendação do Presidente, a nova ministra da Saúde, a sanitarista Nísia Trindade, participando da comitiva, declarou “Emergência sanitária no estado”.

Para o governo brasileiro, como para cada um de nós, é um grave dever humano e cristão. Num primeiro instante, iremos medir o que Brasília diz e como age. E com prioridade e dignidade.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86607
De: José Ponciano Neto Data: Terça 31/1/2023 11:19:34
Cidade: Montes Claros- MG  País: Brasil

A ÁGUA EM MONTES CLAROS – 31 de JANEIRO / 2023.

A BARRAGEM DE JURAMENTO termina o primeiro mês do ano 2023 conta com 83,73% da sua capacidade – faltando 01,64 metro para transbordar.

O atual nível é o maior dos últimos nove anos – comparado somente com o nível de Fevereiro de 2022 que na ocasião contava com 83,69 % - previsão que até a segunda quinzena de Março 2023 venha a transbordar.

Região de Juramento MG (bacia hidrográfica) responsável por 45,8 % do abastecimento de Montes Claros, já choveu 774,2 milímetros de chuva desde 01 de Outubro/ 2022.

Montes Claros tem demanda em torno de 1100 litros por segundo, que é abastecida por VÁRIAS CAPTAÇÕES, sendo elas as MAIORES: Rio São Francisco em Ibiai-MG > Barragem de Juramento MG e Rio Pacuí em Coração de Jesus. Além de outras captações de MÉDIO porte, como: Rebentão dos Ferros > Lapa Grande e Barragem dos Porcos KM 07 - BR 365.

Neste período de chuva o Sistema Verde Grande é incrementado pela captação “Sazonal” situada no Rio Verde Grande na Comunidade Rural de Riacho do Fogo (zona rural de Montes Claros).

Foto:
Primeira Estação de Tratamento de Água – ETA do Morrinho situada ao lado do Monumento Histórico de Montes Claros – Capela Nosso Senhor do Bonfim - imponente na Colina de Dona Germana desde Setembro de 1886 .

Informação:
“A Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) definiu neste mês o plano de investimentos para os próximos cinco anos. De 2023 a 2027, a Companhia terá como desafio aportar mais de R$ 8,1 bilhões para o avanço do saneamento básico em Minas Gerais. Os investimentos recordes, aprovados pelo Conselho de Administração, estão em consonância com o Plano de Negócios da empresa, seus compromissos contratuais, bem como para atendimento às metas de universalização propostas no Novo Marco do Saneamento.
Nesse quesito, a meta estabelecida pelo Novo Marco do Saneamento é de que, até o ano de 2033, 90% dos brasileiros tenham acesso ao serviço de coleta e tratamento de esgoto no país.

XXXI – I – MMXXIII
(*) JOSÉ PONCIANO NETO é Técnico em Recursos Hídricos /Meio Ambiente – Ex- Supervisor de Gestão de Barragens e supervisor de Estação Climatológica com tanques Classe A – membro do Instituto Histórico e Geográfico de Montes Claros -IHGMC e da Academia Maçônica de Letras do Norte de Minas - AMALENM

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86606
De: Manoel Hygino Data: Terça 31/1/2023 08:45:23
Cidade: Belo Horizonte

Esta hora grave

Manoel Hygino

Embora esteja o Brasil vivendo problemas graves, entre os quais o de subalimentação dos Yanomami, em Roraima, sem contar os que se acumulam em torno ou no meio das grandes cidades, com moradores de rua crescendo numericamente nas capitais, há aqueles que se preocupam com as festividades carnavalescas. Dizem que o brasileiro gosta dessa época do ano, deixando para depois os problemas cotidianos.

Há de se perguntar: estômagos vazios, como os dos indígenas, não são sentidos nas demais regiões do País, como as do Sudeste? São Paulo, o estado mais rico, e sua metrópole, a mais populosa, não estão passando por uma grande crise de segurança, exatamente pela evolução indesejada de seus segmentos mais pobres e assumidos no rol da criminalidade?

Não se desconhecem os fins de semana de grupos enormes de pessoas de baixo ou baixíssimo nível econômico para os ajuntamentos coletivos na periferia ou em bairros, embalados com música em volumes elevados, muito álcool e drogas de toda espécie e origem. De onde viria o dinheiro?

Passou da hora e do instante de se pensar mais seriamente. Milhões estão sem alimentos suficientes, e não só os índios. Milhares e milhares se desencaminharam à criminalidade, sem contar multidões que se desviaram para o consumo de drogas altamente perniciosas, quando não letais. No entanto – fazemos de conta que tudo inexiste, e permanecemos nas vias dos males que dizimaram inúmeras pessoas, famílias inteiras. O problema é gravíssimo e não pode ser simplesmente ignorado.

Os economistas, empresários e autoridades sabem que este não é o momento para usufruir (porque não temos o quê). Os planos de desenvolvimento, em particular nos países pobres, estão em xeque. O Departamento de Assuntos Econômicos e Sociais das Nações Unidas prevê um crescimento de apenas 1,9% neste ano, das mais baixas taxas das últimas décadas.

Uma série de acontecimentos assolou a economia mundial em 2022: a pandemia da COVID-19, a guerra na Ucrânia, as crises de energia e de alimentos, aumento da inflação, restrição da dívida, a emergência climática.

Será que sequer se lê jornais para saber do mau período em que nos encontramos? Não há medo? O próprio secretário geral da ONU, o português Antônio Guterres, adverte sobretudo às nações em desenvolvimento. Não se pode ficar surdo e cego.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86605
De: Afonso Cláudio Data: Terça 31/1/2023 06:22:53
Cidade: Montes Claros/MG

Covid-19 em Minas Gerais

I) Minas Gerais

Dados extraídos do Boletim Epidemiológico da Secretaria Estadual de Saúde, de 30/01/2023.
Redução de 23,2% do número de mortes. Passou de 108 para 83 mortes, da 1a. semana (09 a 16/01/23) para a 2a. semana (23 a 30/01/23).
Redução de 42,1% do número de casos confirmados. Passou de 12.075 para 6.989 casos confirmados nas mesmas semanas.

II) Montes Claros

Últimos números da Covid-19, desde o início da pandemia, publicados pela Secretaria Municipal de Saúde em 27/01/23.

Casos confirmados: 97.260; Óbitos: 1093 (eram 1092 até 09/12/22).

Variação percentual dos casos confirmados em Montes Claros:

04 a 16/01/23: 397, média diária 33
16 a 27/01/23: 165; média diária 15
Redução de 54,6%.

Saúde e paz.
Afonso Cláudio
31/01/23, 06h14m

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86604
De: José Ponciano Neto Data: Domingo 29/1/2023 12:07:35
Cidade: Montes Claros- MG  País: Brasil

DIA DO JORNALISTA- 29 de Janeiro.

A data é, de longe, a mais citada nos calendários comemorativos brasileiros, mas, ao mesmo tempo, a que menos tem referências à sua criação.

As informações vão desde uma homenagem ao jornalista e abolicionista José do Patrocínio (que teria falecido, nesta data, em 1905) até ser uma data exclusivamente católica.

Em 2023, a imprensa brasileira completa 215 anos.
Essa importante data se deve ao trabalho e dedicação de todos os jornalistas, que merecem ser reconhecidos.

No calendário de datas comemorativas do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de São Paulo, consta como Dia do Jornalista, 07 de abril.

Mas para homenagear os profissionais da imprensa, uma pesquisa feita sobre essa data apontou outros dias como possíveis dias do jornalista: 24 de janeiro, 29 de janeiro, 16 de fevereiro, 03 de maio e 1º de junho.

1905 - Ir.`. José do Patrocínio nasceu em Campos de Goytacazes, Rio de Janeiro, em 09 de outubro de 1853 e FALECEU no dia 29 de janeiro de 1905 aos 52 anos.

Era filho natural do Padre João Carlos Monteiro, vigário da paróquia e orador sacro de grande fama na Capela Imperial, sua mãe, a escrava africana Justina, vendedora de frutas, de quinze anos de idade foi cedida ao serviço do cônego.

O padre não reconheceu a paternidade e mandou o menino para a sua fazenda, onde José do Patrocínio passou a infância convivendo com os escravos e com os rígidos castigos que lhe eram impostos.

José Carlos do Patrocínio aparece em documentação maçônica. Boletim do Grande Oriente do Brasil de 1897, página 14, por ter sido citado na “Apuração Geral da Eleição de Grão-Mestre Adjunto”, de 12 de fevereiro de 1897, em que recebeu seis votos, sendo três da Loja “João Caetano”, dois da Loja “Aurora Escocesa” e um da Loja “Ganganelli do Rio”.

Foi um grande maçom na defesa pela “liberdade de imprensa”, o que não deixa dúvida de sua atividade maçônica na imprensa brasileira.

XXIX – I - MMXXIII
(*) José Ponciano Neto é Ex - Venerável Mestre da Loja maçônica Deus União e Trabalho – Obreiro da Loja Maçônica União, Paz e Justiça e Obreiro da A.`. R.`. L.`. E.`. P.`. Cavaleiros do Vale do Jequitaí. - CIM: 243540

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86603
De: Manoel Hygino Data: Sábado 28/1/2023 07:39:56
Cidade: Belo Horizonte

Fim de novela?

Manoel Hygino

O ex-governador e vice-presidente Aureliano Chaves gostava de usar a expressão “tapar o sol com a peneira”. Pois foi exatamente o que aconteceu com o ex-comandante do Exército, general Arruda, com relação à ordem para acabar com os acampamentos em frente a dispositivos militares nas proximidades dos edifícios na Praça dos Três Poderes.

O noticiário da agência Metrópole, de Brasília, no dia 22, esclareceu,
textualmente: “O general Júlio César de Arruda perdeu o comando do Exército após enfrentar ordens indiretas de Lula. No mais incisivo dos embates, de dedo em riste, impediu a prisão de bolsonaristas extremistas”. Além do mais, seguia prestigiando o coronel Cid, sumamente alinhado com Bolsonaro, como se noticiava. Na noite de 8 de janeiro, com a intervenção federal já decretada, o general não autorizou a entrada da PM-DF na área militar para prender extremistas em frente ao QG.

A PM-DF seguia as instruções do interventor Ricardo Cappelli, nomeado pelo novo presidente. Naquela noite, Arruda dirigiu-se para o então comandante da PM-DF, Fábio Augusto Vieira, e desafiou: “O senhor sabe que a minha tropa é um pouco maior que a sua, né?”.

Lula vira como uma afronta a barreira formada por homens do Exército e, sobretudo, o uso de veículos militares blindados para impedir o avanço da PM. Um agravante: antes mesmo desse episódio, o presidente já estava furioso por o Exército não ter impedido a invasão ao Planalto. Ao fim daquele 8 de janeiro, o destino de Arruda já estava selado.

Só o que faltava para demiti-lo era encontrar um general estrelado que se mostrasse disposto a enfrentar com rigor as ameaças golpistas. Surgiu o do general Tomás Miguel Ribeiro Paiva, que servira no Haiti e contra gente da favela do Alemão, no Rio. Prestigiado e legalista por origem, foi escolhido.

O ministro da Defesa, José Múcio Monteiro, fez o anúncio. Explicou em poucas palavras: “As relações, principalmente no Comando do Exército, sofreram uma fratura num nível de confiança e achávamos que precisávamos estancar isso logo de início para superar esse episódio. Queria apresentar o substituto, general Tomás, que a partir de hoje é o novo comandante. Hoje, nós estamos investindo mais uma vez na aproximação das nossas Forças Armadas com o governo do presidente Lula”.

Em mais de uma oportunidade, inclusive falando em Buenos Aires, em reunião com o presidente argentino e com outras autoridades e empresários, Lula afirmava que não podia submeter-se a uma situação que não condizia com a maneira de conviver entre o dignitário mais alto e um subordinado, mesmo que do Exército.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86602
De: Afonso Cláudio Data: Sexta 27/1/2023 10:28:19
Cidade: Montes Claros/MG

Covid-19 em Minas Gerais

I) Minas Gerais

Dados extraídos do Boletim Epidemiológico da Secretaria Estadual de Saúde, de 23/01/2023.
Aumento de 4,3% do número de mortes. Passou de 116 para 121 mortes, da 1a. semana (02 a 09/01/23) para a 2a. semana (16 a 23/01/23).
Redução de 4,4% do número de casos. Passou de 18.269 para 17.468 casos confirmados nas mesmas semanas.

II) Montes Claros

Últimos números da Covid-19, desde o início da pandemia, publicados pela Secretaria Municipal de Saúde em 23/01/23.

Casos confirmados: 97.194; Óbitos: 1093 (eram 1092 até 09/12/22).

Comparação das variações percentuais dos casos confirmados em Montes Claros

04/01/23 a 16/01/23: 397; média diária 33
16/01/23 a 23/01/23: 99; média diária: 14
Redução de 57,6%.

Saúde e paz.
Afonso Cláudio
27/01/23, 10h18m

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86601
De: José Ponciano Neto Data: Quarta 25/1/2023 23:35:37
Cidade: Montes Claros- MG  País: Brasil

TERNOS DE FOLIAS, UMA TRADIÇÃO QUE NÃO PODE ACABAR.

“Mas há momentos que nos marcam profundamente. . . feito, em cada um de nós, de eternidades e segundos, cuja saudade apaga a voz. e a vida segue tecendo nós - quase impossíveis de desfazer - tudo o que amamos são pedaços vivos, de nossos próprios seres.” (Manuel Bandeira), “A vida assim nos afeiçoa”.

No final da semana próxima passada, tive o privilégio de assistir as últimas apresentações dos Ternos de Folias de São José de Alto Belo e Glaucilândia que foram celebradas esse ano.

São eventos que nos enchem de alegria, mas, ao mesmo tempo nos conduz saudades antecipadas como estivéssemos perdendo pedaços do corpo da saudade.

Olhar para trás com nostalgia não é recordar o passado como ele realmente foi, mas para eliminar, distorcer e ocultar suas realidades à luz do que aconteceu desde então. Já são, anos e anos “furando saco”!

A cultura envolve contos de feitos heróicos do passado, e os Ternos de Folias, assim como os Catopês, são patrimônios imateriais que nunca podem acabar! Os Ternos de Folias sustentam uma tradição viva – ainda que ameaçada por FALTA de apoios e surgimento de jovens foliões.

Os ternos de Folias e os Catopés são os “portadores e Transmissores das tradições”! - Assim como o patrimônio sensível - o patrimônio imaterial é cultura - assim como o patrimônio natural, ele é vivo!

Esse ano aos 2023 anos do nascimento do Menino Deus – São José de Alto Belo, mais uma vez foi palco da cultura norte-mineira (41ª edição) – desde corridas de animais, até as apresentações dos Ternos de Folias.

No dia 20 de Janeiro - durante as celebrações da paróquia - na Igreja de Nossa Senhora Aparecida, foi à vez de Glaucilândia receber os foliões da região.

No encerramento da missa, a Folia de Reis (foto) fez a festa no espaço cultural da Praça Gasparino Maia, ladeados pela quermesse com muitas variedades de comidas.

Foi um momento de religião e descontração para a população residente - turistas e dos glaucilandenses ausentes, que vêm curtir a sua cidade natal nas festas de Folia de Reis.

XXV – I – XXIII
(*) José Ponciano Neto é Historiador e Escritor. Membro da Academia Maçônica de Letras do Norte de Minas (AMALENM) e Instituto Histórico e Geográfico de Montes Claros (IHGMC).

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86600
De: Manoel Hygino Data: Quarta 25/1/2023 09:02:19
Cidade: Belo Horizonte

No front do Planalto

Manoel Hygino

A economia já perdera fôlego no final do ano passado, como se constatou pelos indicadores. Passados o Natal e as festas tradicionais, começou-se a pensar em 2023, sonhando perspectivas não sombrias, disseminadas por todos os países. No Brasil, os fatos registrados no primeiro mês já adivinhavam pesadelos.

Em minha terra, houve o verde, patrocinado pelas chuvas que chegavam, pacificando os corações e alegrando. Registrou-se a sucessão nos cargos mais altos da administração pública, depois dos bravios debates da campanha eleitoral não reconhecida como educada e respeitosa. Uma verdadeira guerra.

O professor universitário e jornalista, com longa experiência em grandes veículos brasileiros de comunicação, Aylê-Salassié, de seu quartel em Brasília, já em 5 de janeiro, prenunciava “as festas de posse e da transmissão de cargos, que não conseguem esconder o cenário desolado, sombrio mesmo que, com que se estabelece, silenciosamente, na Praça dos Três Poderes e dentro daqueles edifícios verdes da Esplanada. Tudo coincide com o fim da era Pelé, menino pobre que, com ousadia e criatividade pessoal, contribuiu para que os brasileiros se orgulhassem de seu país com todas essas ambiguidades, sem a necessidade de fazer guerra com ninguém, nem com Maradona, que virou seu amigo”.

Estas aparentes divagações emergem quando o presidente da República determinou a exoneração do ministro do Exército, nomeado em dezembro findo. Um ato até certo ponto inesperado, porque o novo ocupante do Palácio do Planalto parecia profundamente interessado em esquecer um passado bem recente e unir em torno da nova gestão as Forças Armadas, em que tanto o antecessor procurara influenciar visando à continuação do quatriênio, mesmo que mediante golpe.

Aliás, este motivou, incontestavelmente, o 8 de janeiro, uma nova data na crônica do Brasil sempre litigante em seus meandros. O ministro da Defesa Civil seguiu a orientação mais alta. Exonerou o chefe do Exército e nomeou outro incontinenti. A sorte estava lançada.

Luiz Inácio partiu para Roraima para ver a situação dos yanomami em emergência. O titular da Defesa foi claro e explicou que as relações no comando do Exército tinham sofrido uma fratura, que cumpria resolver com segurança e rapidamente. Aconteceu antes que um mês preocupante para a nação cerrasse as cortinas. Ainda bem.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86599
De: José Ponciano Neto Data: Segunda 23/1/2023 23:28:37
Cidade: Montes Claros- MG  País: Brasil

CHUVA COM RAIOS SEGUIDOS DE TROVÕES ASSUSTA MONTES-CLARENSES E GLAUCILANDENCES.

Hoje por volta das vinte horas e dez minutos uma forte chuva partiu de Montes Claros rumo às comunidades de “Me livre” – Riachinho - Mimoso e Borá; seguindo rumo a Glaucilândia e São José de Alto Belo.

São chuvas que o clima mais quente traz em forma de tempestades rolando em nossa direção. Enquanto algumas crianças podem apreciar o espetáculo das tempestades, para outras pode ser uma experiência muito assustadora.

Os cães ficam assustados, os pássaros agarram com mais firmeza aos galhos para não serem tocados pelos fortes ventos.

As tempestades atingem quase todos os nossos sistemas sensoriais - visão, olfato, som e até o tato. Desde o clarão brilhante de um raio, trovão alto, chuva forte e rajadas de vento, até luzes piscando com a oscilação da corrente elétrica, além das sirenes estridentes dos bombeiros.

Somados, podem ser opressores para as crianças e alguns adultos.

Fotografei – com muita sorte - um lindo relâmpago! – Que me trouxe lembranças da época de criança. - Naquela época, eu, como toda criança, tinha muito medo dos relâmpagos!

Como minha família morava próximo ao Asilo São Vicente de Paula, e a relação com os velhinhos era muito próxima - uma das diversões era procurar explicação sobre o fenômeno, ouvindo as histórias – muitas das vezes estórias – contadas pelos eruditos moradores do asilo.

Não obstante, cada um tinha suas tradições culturais diferentes, porém, todas as recitadas “histórias” eram bem vindas. Uns acreditavam que os raios eram lançados pelos “deuses ou pelos espíritos".

Mas tinha aquelas senhorinhas que nos orientavam a pedir nossos pais NÃO plantar algumas espécies de árvores perto de casa – outras pediam para colocarmos pneus de carro no telhado e Dona Zefa: “meu filho, quando começar os raios, cobrem os espelhos com um pano”! - Dizia a velha negra, muito religiosa com dois metros de altura.

As grandes tempestades podem ser muito assustadoras. Quando uma tempestade acontece – nuvens escuras aparecem – chuvas fortes geralmente caem – ventos fortes e imprevisíveis e relâmpagos que cruzam o céu. - Como aconteceu hoje!

Na época de criança, quando a tempestade era violenta, minha avó Alzira Ponciano, para despistar a sua ansiedade e nervosismo, fazia eu e outros netos a orar por algum tempo, era a maneira que ela encontrava para nos manter calmos, e sentir protegidos e seguros.

Mas, quando estávamos longe dela, era banho de chuva e deitar nas enxurradas. Ainda deliciávamos das mangas contraídas ilicitamente do quintal de Sr. Zé Amaro e Dona Dica (as mangueiras ainda estão lá) Rua Dr. Veloso 1109. – Era manga misturada à água suja – guerra com bolinho de barro - a roupa, mais que parecia farda pós-guerra.

O relâmpago (foto) de hoje 23 Janeiro 2023 remeteu-me a minha saudável infância!

XXIII – I – MMXXIII.
(*) José Ponciano Neto é saudosista, historiador e escritor. Membro da Academia Maçônica de Letras do Norte de Minas e Instituto Histórico e Geográfico de Montes Claros.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86598
De: Manoel Hygino Data: Sábado 21/1/2023 07:15:49
Cidade: Belo Horizonte

O terrorismo

Manoel Hygino

Transcorridos dias desde 8 de janeiro, quando ocorreram os atentados contra as sedes dos três poderes da República, no local escolhido por Juscelino para instalar uma nova capital, distanciada da agitada vida no Rio de Janeiro, persistem dúvidas candentes sobre os agentes que levaram à dramática situação da mais bela capital deste século.

Ao comentário anterior dei o título de “Guerra Irregular”, também nome do livro de Alessandro Visacro, ex-oficial das Forças Armadas do Brasil e um especialista no tema. Ele escreve: “O público não precisa assistir ao desabamento de arranha-céus para ver-se diante de ataques terroristas. Sendo um ato de guerra irregular, abrange um enorme repertório de métodos, com objetivos, amplitude e características variáveis. Guerrilheiros, rebeldes e insurgentes sempre recorreram ao terror. Na verdade, guerrilha, subversão, sabotagem e terrorismo constituem ações de guerra irregular que se complementam”.

Deste modo, não será tão difícil classificar os acontecimentos do segundo domingo de 2023, na capital federal. Poderão autoidentificar-se os próprios componentes dor grupos que se formaram com determinado e claro objetivo, assim como os investigadores que fazem ou farão a apuração das partes, considerando principalmente os resultados do segundo turno da eleição.

O autor acrescenta ainda: “Assim como as demais formas de guerra irregular, o terrorismo sofreu notável expansão após o término da Segunda Guerra Mundial, com enorme incidência no Terceiro Mundo, abarcando as guerras de liberação nacional, as revoluções marxistas e as práticas de grupos reacionários da extrema direita”.

Para que se possa caracterizar um ato terrorista, é bom conhecer o que diz a Agência Brasileira de Inteligência: “Ato premeditado, ou que ameaça por motivação política e/ou ideológica, visando atingir, influenciar ou coagir o Estado e/ou a sociedade, com emprego de violência. Entende-se, especialmente, por atos terroristas aqueles definidos nos instrumentos internacionais sobre a matéria, ratificados pelo Estado brasileiro”.

Seja como for, as práticas de terrorismo, subversão e guerrilha difundiram-se de tal forma que afetaram, direta ou indiretamente, em maior ou menor grau, a quase totalidade das nações do globo, incluindo o Brasil.

O episódio em Brasília é típico.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86597
De: Manoel Hygino Data: Quarta 18/1/2023 12:17:08
Cidade: Belo Horizonte

8 de janeiro

Manoel Hygino

No domingo, 8 de janeiro, o mundo viu (porque as televisões mostraram a todo o planeta) cenas que não se quereria porque o Brasil constava como nação civilizada, além da maior do hemisfério sul-americano. A invasão das sedes dos três poderes em Brasília foi algo quase inacreditável, que nos retroage à invasão dos bárbaros na Europa.

O que aconteceu encontra dificuldades para descrições à altura, dadas as cenas de desapreço a bens altamente valiosos ao Brasil. Os estragos então perpetrados por seres humanos se comparam aos males causados por terremotos, incêndio e dilúvios, funestas desgraças que pudesse a imaginação conceber.

O ocorrido naquela tarde dominical foi prova convincente da crueldade e extensão das devastações como a dos bárbaros. Uma espécie de profunda noite envolveu a capital da República, glória e honra dos brasileiros, mundialmente reconhecida e admirada. E todo o projeto destruidor foi minuciosamente elaborado e discutido, antes de posto em prática. Um crime hediondo cuidadosamente urdido e consumado, com a participação de milhares de pessoas, agentes robôs de mandantes criminosos.

Baltazar Garzón, juiz espanhol que condenou à prisão Augusto Pinochet e a 640 anos o argentino Scilingo, dos voos da morte, a maldita Operação Condor, em entrevista a jornal brasileiro, observou com propriedade: “Não foi algo casual, nem espontâneo. É preciso chegar até o fim nas investigações e sancionar os autores intelectuais, assim como àqueles que financiaram esses atos violentos, de terrorismo e de graves atentados. Foi um verdadeiro atentado à democracia, um golpe de Estado que deve ser severamente condenado como tal”.

Garzón também declara: “Os problemas que enfrentamos são complexos, e as soluções também serão. Creio que os progressistas não devem minimizar o crescimento da ultradireita, pois, ao fazê-lo, podemos nos deparar com acontecimentos como o de 8 de janeiro, em Brasília. Colocaremos em risco a democracia se permanecermos indiferentes a esse fenômeno”.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86596
De: Afonso Cláudio Data: Terça 17/1/2023 16:46:07
Cidade: Montes Claros/MG


Covid-19 em Minas Gerais

I) Minas Gerais
 
Dados extraídos do Boletim Epidemiológico da Secretaria Estadual de Saúde, de 16/01/2023.
Redução de 15% do número de mortes. Passou de 127 para 108 mortes, da 1a. semana (26/12/22 a 02/01/23) para a 2a. semana (09/01/23 a 16/01/23).
Redução de 59,1% do número de casos. Passou de 29.497 para 12.075 casos confirmados nas mesmas semanas.

II) Montes Claros

Últimos números da Covid-19, desde o início da pandemia, publicados pela Secretaria Municipal de Saúde em 16/01/23.

Casos confirmados: 97.095; Óbitos: 1093 (eram 1092 até 09/12/22).

Comparação das variações percentuais dos casos confirmados em Montes Claros:

23/12/22 a 04/01/23: 354; média diária 29
04/01/23 a 16/01/23: 397; média diária 33
Aumento de 13,8%

02/12/22 a 16/12/22: 2366; média diária 169
04/01/23 a 16/01/23: 397; média diária 33
Redução de 80,5%.

Saúde e paz.
Afonso Cláudio
17/01/23, 16h46m

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86595
De: Afonso Cláudio Data: Segunda 16/1/2023 15:29:37
Cidade: Montes Claros/MG

Covid-19 em Minas Gerais

I) Minas Gerais
 
Dados extraídos do Boletim Epidemiológico da Secretaria Estadual de Saúde, de 16/01/2023.
Redução de 15% do número de mortes. Passou de 127 para 108 mortes, da 1a. semana (26/12/22 a 02/01/23) para a 2a. semana (09/01/23 a 16/01/23).
Redução de 59,1% do número de casos. Passou de 29.497 para 12.075 casos confirmados nas mesmas semanas.

II) Montes Claros

Últimos números da Covid-19, desde o início da pandemia, publicados pela Secretaria Municipal de Saúde em 16/01/23.

Casos confirmados: 97.095; Óbitos: 1093 (eram 1092 até 09/12/22).

Comparação das variações percentuais dos casos confirmados em Montes Claros:

23/12/22 a 04/01/23: 354; média diária 29
04/01/23 a 16/01/23: 397; média diária 33
Aumento de 13,8%

02/12/22 a 16/12/22: 2366; média diária 169
04/01/23 a 16/01/23: 397; média diária 33
Redução de 80,5%.

Saúde e paz.
Afonso Cláudio
16/01/23, 15h25m

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86594
De: Afonso Cláudio Data: Sábado 14/1/2023 10:00:42
Cidade: Montes Claros/MG

Alerta sobre raios

Ontem, 13/01/2023, às 21h52m, mais um raio, daqueles seguidos de forte explosão, parecendo tiro de canhão, semelhante aos descritos na mensagem 86527, de 16/11/2022, que aborda o tema "Prevenção de acidentes com eletricidade", atingiu as proximidades da nossa residência, no bairro Cândida Câmara.

Essa ocorrência levou-me aos seguintes comentários.
Um menino de três anos, infelizmente, morreu, na última quarta-feira (11/01/2023), em Gonzaga, na Região do Vale do Rio Doce, a 87 km de Governador Valadares, por estrada, após receber uma descarga elétrica, quando um raio atingiu a casa em que ele morava.
No momento do acidente a criança apertou o interruptor para acender a lâmpada do quarto.

A quantidade de raios que vem atingindo Minas Gerais e o Brasil é enorme nesta época e reiteramos as mensagens anteriores, a exemplo da 86527 e de outras citadas nela, que alertam sobre os riscos de graves acidentes com descargas elétricas, caso não sejam praticadas as recomendações referentes a este assunto tão importante.
Em Minas, mais de 3,5 milhões de raios foram registrados em 2021, sendo um dos Estados com maior número de ocorrências, perdendo apenas para o Amazonas e o Pará.
E o Brasil é o país com maior incidência de raios no mundo.

Afonso Cláudio de Souza Guimarães - Engenheiro Eletricista
14/01/2023, 9h44m.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86593
De: Manoel Hygino Data: Sábado 14/1/2023 07:56:12
Cidade: Belo Horizonte

Hora de Francisco Sá

Manoel Hygino

Sem desejarmos fazer coluna de registros históricos, não podemos, contudo, omitir-nos se os fatos o impuserem. Como agora. Segundo Joaquim Ribeiro Costa, na “Toponímia de Minas Gerais”, atualizada por Joaquim Ribeiro Filho, o município de Francisco Sá está comemorando, este ano, centenário, nos termos da Lei nº 843, de 7 de novembro de 1923, embora somente adquirisse o nome atual em 1938.

Tudo para chegar ao âmago. O nome da cidade, Francisco Sá, se deve aos relevantes serviços à região, a Minas e ao Brasil pelo homenageado, nascido de família proeminente na economia e na política norte-mineira. O avô do menino Chico era Josefino Vieira Machado, barão de Guaicuí, republicano e abolicionista, inclusive na navegação do rio das velhas, lavouras de café, algodão, cana-de-acúcar e serrarias.

Fez curso primário no Seminário de Diamantina, transferiu-se para o Rio de Janeiro, iniciando engenharia na Politécnica, concluído na Escola de Minas de Ouro Preto. Quando a província do Ceará foi presidida pelo mineiro Carlos Honório Benedito Otoni, Francisco Sá se viu conduzido a engenheiro fiscal da Estrada de Ferro Baturité, a primeira do Ceará, ligando-a a Pernambuco.

Daí para frente, só novas incumbências e graves responsabilidades naquele tempo de constantes variações políticas regionais. Deputado provincial por Minas Gerais em 1888-1889, deputado geral pelo Ceará em 1889, reeleito para as legislaturas 1897-1899, 1900-1902, 1903-1905, e senador em 1906-1909, 1912-1915, 1922-1926 e 1927-1930. Esteve à frente da exploração de depósitos de salitre em Minas Gerais, no vale do Rio das Velhas, e Bahia, e engenheiro fiscal da Estrada de Ferro Mogiana. Em Minas, foi inspetor de terras e colonização, na gestão de Afonso Pena (1892-1894), e secretário da Agricultura, Comércio e Obras Públicas, com Crispim Jacques Bias Fortes (1894-1898), renunciando para assumir mandato de deputado federal. Nomeado ministro de Viação e Obras Públicas (1909-1910) por Nilo Peçanha (1909-1910), inaugurou o rádio no Brasil.

No ministério, destacou-se pela criação da Inspetoria de Obras Contra a Seca (1909), que passou a coordenar as ações destinadas a prevenir e atenuar os efeitos das estiagens, antes distribuídos dispersamente no ministério, responsável pela construção de açudes, poços, canais de irrigação e barragens. Era antecipação nacional de combate às secas e da própria Sudene.

Deve muito a nação à atuação de Francisco Sá, responsável em termos norte-mineiros, pela implantação da Estrada de Ferro Central do Brasil. Em 1926, finalmente, com muita festa, música e foguete, se inaugurou o ramal de Montes Claros, a mais importante cidade da região.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86592
De: Afonso Cláudio Data: Quinta 12/1/2023 18:43:44
Cidade: Montes Claros/MG

Dengue, o Brasil tem recorde de mortes

O Brasil vive uma explosão de casos de dengue.
Nos últimos 12 meses foram registrados 1.450.000 casos, com aumento de 162% em relação a 2021.
Neste mesmo período 1016 pessoas morreram de dengue. Antes, o número mais alto registrado até agora tinha sido em 2015, com 986 mortes.
São Paulo foi o Estado que teve o maior número de óbitos: 282.
A mensagem 86560, de 7/12/22, apresentou números relativos à dengue em Minas Gerais, fez a comparação entre janeiro e novembro de 2022 com o mesmo período de 2021 e alertou sobre a prevenção contra a proliferação do mosquito aedes aegypti, que transmite também a zika, a chikungunya e a febre amarela urbana, doenças chamadas de arboviroses.

Saúde e paz.
Afonso Cláudio
12/01/23, 18h37m.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86591
De: Manoel Hygino Data: Quarta 11/1/2023 09:17:00
Cidade: Belo Horizonte

A guerra irregular

Manoel Hygino

Um profissional de imprensa foi mais uma vez vítima por estar no exercício de suas obrigações. Aconteceu no último dia 5, quinta-feira, nas proximidades de um acampamento instalado nas proximidades da Companhia de Comando da 4ª Brigada Militar, na avenida Raja Gabaglia. Mencionado profissional, fotógrafo do jornal “Hoje em Dia”, apenas cumpria ordens para produção de matéria sobre a permanência de grupos que ali se instalaram.

À distância, ele realizava seu trabalho, quando foi perseguido por manifestantes abusivamente. Viu-se, assim, pessoas sem atividade útil qualquer naquela ocasião e local, partirem para ataque a um cidadão que simplesmente cumpria sua missão.

O malogrado tentou escapar à fúria dos acampados, correndo a esconder-se detrás de um carro. Era o que lhe restava, mas foi derrubado e arrastado pelo piso da via pública, recebendo socos, chutes e até pauladas. Sofreu um corte na cabeça, o que o obrigou a atendimento médico em unidade de saúde. Quanto aos seus equipamentos, os resultados também foram perversos. A câmera fotográfica desapareceu e as respectivas lentes foram danificadas, impedindo seu uso a partir de então.

Como não poderia deixar de ser, prestigiosas entidades sociais e de profissionais de todo o país hipotecaram solidariedade ao trabalhador de comunicação, pedindo – ou exigindo – “justiça e punição” para os agressores, até porque não se trata do primeiro episódio do tipo, que se estende a outros atentados no Ceará, Espírito Santo, São Paulo, Paraná e Rio Grande do Sul.

Estas atitudes se tornaram costumeiras, sobretudo à porta dos quartéis causando intranquilidade e medo nas vias públicas, principalmente nas capitais.

Segundo autoridade no assunto, as guerras não são mais as mesmas. Em vez da confrontação militar, o mundo vem assistindo a uma série de embates “irregulares”, como terrorismo, guerrilha, insurreição, movimentos de resistência e conflitos assimétricos em geral.

É o caso da Raja Gabaglia, que exige atenção do poder público, se repetiu em Brasília, criminosamente. O que aconteceu na Capital Federal, domingo, foi uma exibição contra a democracia, com atos de terrorismo não típicos da índole do povo brasileiro. O prólogo foi em Belo Horizonte.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86590
De: Afonso Cláudio Data: Terça 10/1/2023 17:15:54
Cidade: Montes Claros/MG

montesclaros.com: "Polícia Civil: "...chegando a ser preso, em 22 de novembro do último ano, pelo crime de ameaça, mas colocado em liberdade pelo poder judiciário. No dia do crime, o suspeito invadiu a casa da vítima, pulando o muro do imóvel e acessando a cozinha, onde se apossou de uma faca e ..."
Domingo 08/01/23 - 12h08"

Feminicídios e violência contra a mulher

I) Números em Minas Gerais

Feminicídios
Ano / ocorrências
2020 152
2021 155
2022 151

Violência contra a mulher
Ano / ocorrências
2020 145.523
2021 145.584
2022 (janeiro a outubro) 114.743
Fonte: g1/Grande Minas/ MG1, 05/01/2023

II) Números no Brasil

"O Brasil registrou 699 casos de feminicídio no primeiro semestre deste ano.
Com média de 4 mulheres mortas por dia, o país chega a um recorde desde 2019, quando houve 631 casos entre janeiro e junho daquele ano.
É o que mostram dados publicados pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública nesta quinta (7).
O feminicídio, assassinato motivado pelo fato de a vítima ser mulher, teve uma alta generalizada no país, com aumento de 10,8% em relação a 2019, ano inicial do levantamento.
Em relação ao ano passado, houve um aumento de 3,2% dos casos."
Fonte: Folhapress, 08/12/2022.

"O Brasil convive com elevadas estatísticas de violências cotidianas praticadas contra mulheres, o que resulta em um destaque perverso no cenário mundial: é o 5º país com maior taxa de homicídios de mulheres (4,8 homicídios de mulheres a cada 100 mil em 2013)."
Fonte: Instituto Patrícia Galvão - Secretaria de Políticas para Mulheres, 05/01/2023.

Confiamos na qualidade dos serviços prestados pelo Ministério Público Estadual e Federal e pelas Polícias Federal e Estaduais (Civil e Militar), visando a proteção de possíveis vítimas de feminicídio e de outros tipos de violência contra a mulher, apesar dos números mostrados nesta mensagem serem muito graves e desafiadores, devido à complexidade deste problema social.

Eng. Afonso Cláudio de Souza Guimarães
10/01/2023
"...Sagrada Família de Nazaré, fazei que todos nos tornemos conscientes do caráter sagrado e inviolável da família e da sua beleza no projeto de Deus..." - Papa Francisco, 02/08/2017

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86589
De: Manoel Hygino Data: Terça 10/1/2023 09:20:04
Cidade: Belo Horizonte

Bento XVI diz adeus

Manoel Hygino

Aconteceu como seu sucessor, Francisco, praticamente previra. O papa Bento XVI, de 95 anos, não resistiu ao agravamento de seu quadro clínico e da idade e faleceu com o ano 2022, enquanto as ruas de todo o mundo exultavam o número novo no calendário. As manifestações de pesar e solidariedade se repetiram por todas as nações, inclusive entre aquelas que não integram a Igreja de Roma, como a Ortodoxa russa.

Considerado um dos maiores teólogos deste nosso tempo, Bento XVI encerrou seu período à frente da Igreja em um aposento solitário no Vaticano, anos após participar no Brasil das festividades de canonização de Frei Galvão, o primeiro santo aqui nascido. Esteve presente em todos os atos, reconhecendo o milagre da restauração da saúde de Enzo, de 7 anos, desenganado pelos meios médicos.

Mas o notabilíssimo estudioso da Igreja, de sua história, de dúvidas que resistiam apesar da fluência do tempo, dos erros tornados públicos, como o desvio sexual de sacerdotes e de questões envolvendo o Banco do Vaticano.

O pontífice alemão não conseguiu resistir mais, contudo, às dores e atropelos e resolveu renunciar ao trono que Pedro inaugurara séculos antes. Em sua visita ao Brasil, em maio de 2007, Bento XVI teve ensejo, em várias ocasiões, de apelar em favor dos pobres e enfermos, enfim de todos os necessitados.

Às lideranças políticas brasileiras, usou um tom de cobrança, perfeitamente válido nesta hora de sucessão no comando da administração. Afirmou: “Cumpre formar nas classe políticas e empresariais um autêntico espírito de veracidade e de honestidade. Quem assume uma liderança na sociedade deve procurar prever as consequências sociais, diretas e indiretas, a curto e a longo prazos, das próprias decisões, agindo segundo critérios de maximização do bem comum, ao invés de procurar ganâncias pessoais”.

Visitando em Guaratinguetá, uma obra de reabilitação de dependentes químicos, admoestou: “O Brasil possui uma estatística, das mais relevantes, no que diz respeito à dependência de drogas e entorpecentes”. Logo imprescindível e urgente, prioritária, a reinserção dos que caíram no engodo criminoso das drogas e a volta ao abrigo do bem, do lar, da saúde e de Deus.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86588
De: Afonso Cláudio Data: Sábado 7/1/2023 11:41:23
Cidade: Montes Claros/MG

Pandemia do coronavirus

Tendo classificado as variações percentuais dos números de mortes dos 10 primeiros países da classificação da Organização Mundial de Saúde, verifiquei que o Brasil hoje é o 9º (nono) colocado, em ordem decrescente, com redução de 32,3%, passando de 1.000 mortes entre 16 a 23/12/2022, para 677 mortes entre 30/12/2022 e 06/01/2023.

Dados do Brasil e do Mundo , desde o início da pandemia:
Brasil: Mortes 694.411; Casos confirmados 36.423.138
Mundo: Mortes 6.706.385; Casos confirmados 664.239.855
Fonte: OMS/JHU, 06/01/2023, 14h07m.

Médias diárias de mortes do Brasil; fonte: g1.com.br/coronavirus
17/11/22: 32
24/11/22: 73
01/12/22: 86
09/12/22: 101
16/12/22: 128
23/12/22: 134
30/12/22: 173
06/01/23: 131

Últimas posições do Brasil nas variações percentuais dos números de mortes dos dez primeiros países da classificação da Organização Mundial de Saúde, em ordem decrescente:
16/12/22 1º; 23/12/22 2º; 30/12/22 5º; 06/01/23 9º

Casos confirmados no Brasil; fonte: OMS
Entre 16/12/2022 e 23/12/2022: 283.013
Entre 30/12/2022 e 06/01/2023: 120.723
Redução de 57,4%.

g1.com.br/coronavirus, 06/01/23, 20h06m: "Brasil tem média de 131 mortes por Covid; tendência volta a indicar estabilidade após um dia de queda."
Mortes
Total de mortes: 694.823
Registro de mortes em 24 horas: 198
Média de mortes nos últimos 7 dias: 131 (variação em 14 dias: -13%, tendência de estabilidade)
Casos conhecidos
Total de casos conhecidos confirmados: 36.487.021
Registro de casos conhecidos em 24 horas: 30.865
Média de novos casos nos últimos 7 dias: 20.476 (variação em 14 dias: -45%, tendência de queda).

Médias de mortes dos Estados:
Subindo: 6 Estados
Em estabilidade: 4 Estados (Minas Gerais é um deles)
Em queda: 12 Estados e o DF
Não divulgaram até 20h: 4 Estados

Últimos números da Covid-19, desde o início da pandemia, publicados pela Secretaria Municipal de Saúde de Montes Claros em 04/01/2023:
Casos confirmados 96.698; Óbitos 1.093 (até 09/12/22 eram 1.092)

Comparação das variações percentuais dos casos confirmados em Montes Claros
02 a 16/12/22: 2.366; média diária 169
23/12/22 a 04/01/23: 354; média diária 29,5
Redução de 82,6%

Saúde e paz.
Afonso Cláudio
07/01/2023, 11h22m - 06/01: Epifania do Senhor

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86587
De: Manoel Hygino Data: Sábado 7/1/2023 08:35:31
Cidade: Belo Horizonte

Agora, sem rei

Manoel Hygino

Seria, ou é, impossível alguma opinião, sequer uma simples frase, ao que já se disse e publicou sobre o passamento de Pelé, já pretérito, triste, para uma nação que ultimamente sente tantas dores e decepções. O pesar pelo falecimento do atleta do século foi uma explosão de um povo que acompanha o futebol como esporte maior e recarrega baterias para os deveres do dia e do porvir, com de precária alegria.

Pelé permanecerá, já lenda e história, enquanto o corpo do cidadão brasileiro de 82 anos descansará dos embates que caracterizaram uma vida quase em plenitude. Sem se imiscuir na vida política, julgou-se no direito ou dever de não jogar em 1974 “por desgosto em relação ao regime político do país”. Era a época da ditadura”.

Nascido no curato do Santíssimo Coração, elevado a paróquia por decreto imperial de 1832. Três Corações, no Sul de Minas, não é uma cidadezinha, como a descreveram alguns repórteres de rádio e televisão. É um núcleo com cerca de 100 mil habitantes, às margens de rodovia federal, em que se ergueu uma estátua ao herói do futebol. O nome atual lhe foi dado por lei de 1923, há um século.

Cidadão brasileiro reverenciado em todas as nações, Edson Arantes do Nascimento é um dos poucos esportistas que jamais se envolveu em disputas mesquinhas, em agressão física ao adversário, em participar de questiúnculas de vestiários e malévolas conversas da frivolidade social. Viveu a existência intensamente.

As gerações de hoje irão orgulhar-se por terem visto o craque eterno nos campos de futebol de todo o mundo, de tê-lo acompanhado em partidas sensacionais, o que constitui um privilégio.

O menino que saiu da terra natal aos 4 anos, de família humilde interiorana, no auge da carreira não deixava de dar graças a Deus por seu êxito e de rogar em nome dEle bênçãos para as pessoas de sua convivência, ou a quem devia algum tipo de agradecimento.

Edson Arantes do Nascimento exibia sorrisos quase sempre diante dos fotógrafos. Era bom humorado e otimista. Tinha razão: enfim sua mãe tinha nome adequado – Celeste. Com mais de cem anos, ela sobreviveu para assistir a glorificação do filho, rogando para que suba aos céus.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86586
De: Isaías Data: Sexta 6/1/2023 11:06:37
Cidade: Montes Claros

(Notícia publicada originariamente, com imagens, no @montesclaroscom - Clique aqui para ir e seguir o @montesclaroscom no Instagram)



A cidade que a cidade não conhece. Uma foto na parede

A filmagem é de uma Montes Claros de mais de 60 anos.

A via, hoje, é uma das mais movimentadas e, na época, final dos anos 50, apresentava-se como embrião de uma das principais avenidas pelas décadas seguintes.

A avenida - Coronel Prates, ou Avenida da Estrela - chegava ao fim exatamente ao chegar a Santa Casa, localizada numa praça servida de monturos de lixo, e animais vagando...

Nada existia para além daquele ponto, exceto a viela que do fundo da capelinha de Padre Quirino conduzia ao Seminário Premonstratense.

As moças de blusa branca e de saia azul marinho, com gola de marinheiro, as jovens eram alunas do Colégio Imaculada Conceição.

As imagens foram feitas por alguém que se postou bem diante da Capela.

Das construções que aparecem, apenas uma ainda está de pé: é o último prédio à esquerda, que vinha em construção à época, e até hoje pertencente à família Ribeiro Pires.

No extremo à direita está o anexo do Colégio Imaculada, conhecido como Coleginho, onde meninos e meninas da cidade faziam o curso primário, das professoras beneméritas irmãs de caridade Salete e Eloína, Guido, Rosita, Edmunda, Lourdes, Marilda, Taís e a superiora, Irmã Canuta, belga, entre outras.

Duas casas à esquerda - e estamos no Beco do Padre Marcos, cônego premonstratense que morava no casarão da esquina, até se transferir da cidade, nos anos 60, com grande fama de santidade, sofrido pelo desfecho.

As demais casas eram de costureira e seus numerosos filhos; da dona de casa de nome Morena, esposa de um barbeiro, e a penúltima - antes do prédio - era de família de fazendeiro, descendentes diretos do primeiro vigário da Matriz, em 1835.

Montes Claros tinha 10 mil habitantes e uma de suas principais avenidas ainda exibia posteamento no meio da rua, entre as duas pistas, de pouquíssimos carros, a ponto de servir de campo de pelada, de futebol.

Só então o posteamento recuou para as calçadas dos dois lados, permitindo a criação de belo canteiro com árvores e vasta plantação de lírios, impiedosamente transformados em esconderijos para brincadeiras de esconde-esconde dos meninos da época, numerosos, terríveis...
No silêncio da noite todo o relvado era território de vagalumes, silêncio quebrado apenas quando os bruaqueiros vinham de madrugada, trazendo o que vender, rapaduras e hortaliças, no Velho Mercado onde hoje fica um shopping popular.

A avenida transformou-se então no mais importante endereço residencial da cidade, e assim foi, por décadas.

Depois, depois virou um insensível corredor de carros, já sem o prédio do Ginásio Municipal e do Seminário Diocesano, e sem a memorial Igrejinha do Rosário, derrubada a golpes de trator, impiedosos.

O prédio do Ginásio Municipal, depois Seminário Diocesano, foi convertido em sede de prefeitura e de mercantil supermercado.

Uma cidade acabou, quando isso aconteceu.


E o poeta itabirano pôde (era assim que se escrevia) repetir mais uma vez, com razão, e dor: uma fotografia subiu para a parede...

Inútil ter saudade.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86585
De: Manoel Hygino Data: Quarta 4/1/2023 09:16:50
Cidade: Belo Horizonte

Bicidadãos de Minas

Manoel Hygino

No dia 12 de dezembro passado, exatamente a data de aniversário de Belo Horizonte, o Dr. Jarbas Soares Júnior, Procurador-Geral de Justiça de Minas Gerais, empossou-se no seu quarto mandato, não consecutivo, à frente do Ministério Público do Estado. É algo evidentemente a ser comemorado, considerando a importância do fato num país em que tantas atividades em todos os setores vão a desfecho nas mesas do Judiciário e na decisão dos magistrados.

Quem esteve na solenidade para cumprimentar o reempossado foi o desembargador Rogério Medeiros Garcia Lima, que chamou a atenção para um pormenor: o Procurador é barranqueiro de São Francisco, bela cidade do norte-mineiro às margens do Velho Chico, mas nasceu em Montes Claros, onde sua mãe, D. Rosinha, foi ter o bebê. Teria nascido duas vezes, pois.

Haveria mais a contar, sendo personagem o próprio desembargador, nascido em São João del-Rei. Acontece que, nomeado juiz de Direito para servir na comarca de Montes Claros, conquistou prestígio e admiração da cidade, de modo que – anos depois – por iniciativa da Câmara Municipal, referendada pelo prefeito local, recebeu o título de Cidadão Honorário.

De também São Francisco é o advogado, fundador e presidente da Academia de Letras, Ciências e Artes do São Francisco (ACLECIA), Petrônio Brás, cuja vasta produção literária e histórica foi recentemente editada pela Chiado, de Portugal, apresentada por Isabel Maria Rosa Furtado Cabral Gomes da Cosata, de grande prestígio nas Península Ibérica.

Vê-se que o mundo de origem lusitana já se vai afunilando para chegar ao vasto território das Minas Gerais, onde se instalaram centenas de famílias portuguesas, formando aqui um dos grandes núcleos de migrantes daquele pedaço do velho mundo.

Há muita gente que se registrou em Montes Claros, desde os tempos dos juízes Dr. José Tupiniquim Horta Drumond e Darcy Bessone. Não se poderá omitir a Dra. Carmem Lúcia Antunes Rocha, de família de Espinosa, nascida em Montes Claros, onde foi registrada com todas as honras de estilo. Assim, ela chegou a ministro do Supremo Tribunal Federal e exercendo a presidência.

O famoso alemão Friedrich Nietzsche (1844-1900) afirmava que “morremos e renascemos” várias vezes, durante a nossa existência. Guimarães Rosa, um nietzschiano do sertão das “Gerais”, filosofou: “O senhor... Mire veja: o mais importante e bonito, do mundo, é isto: que as pessoas não estão sempre iguais, ainda não foram terminadas – mas que elas vão sempre mudando. Afinam ou desafinam. Verdade maior. É o que a vida me ensinou” (Grande Sertão: Veredas).

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86584
De: Manoel Hygino Data: Terça 3/1/2023 08:56:20
Cidade: Belo Horizonte

Um período difícil

Manoel Hygino

O novo governo da velha República tem início estigmatizado pelos desencontros das eleições realizadas em 2022 e que despertaram uma onda de dúvidas quanto ao futuro, acalentada duramente pelos temores legados por movimentos de pessoas e grupos associados ao quatriênio que terminou.

O brasileiro, agora desencantado com as perspectivas de um tempo mais pródigo e sadio, se revela ansioso por conquistar igualdade entre os segmentos da sociedade, nivelados no direito a uma vida digna material e espiritualmente. Pensa e remói incertezas.

O panorama mundial não é dos mais promissores, a América Latina novamente se envolve em perigosas expressões de desconfiança ou de desaprovação de seus dirigentes, e no Brasil, temos não poucas divisões e litigâncias, facilmente identificáveis pela mídia.

Aylê Quintão, jornalista mineiro radicado em Brasília, professor, com experiência em importantes veículos de comunicação e atuação no exterior, também se atribula diante das circunstâncias adversas da hora presente. Em recente artigo, manifestou-se: “Cerca de 13,7 milhões vivem abaixo da linha da pobreza extrema; milhões de trabalhadores estão desempregados; dez milhões são analfabetos. O saldo é de quase miséria e desigualdade, crescentes. Para a socióloga Renata Duarte, da UFPe, crianças nascidas em um contexto de pobreza têm maior probabilidade de se tornarem famílias pobres de amanhã. Todo cuidado é pouco. Não tiramos ainda a sorte grande. Recomenda-se calma. Nesse cenário ministerial confuso, não há e não haverá futebol nem Natal que salve o brasileiro. O Planejamento não resolve problemas, traça perfis. Sem bom senso, teremos de conviver ainda por muito tempo com um Brasil problemático”.

A Copa do Mundo se foi, os hermanos limítrofes ao Sul se consagraram, apesar de seus numerosos e difíceis desafios, inclusive da inflação que corrói orçamentos e destrói planos e sonhos. Para o Brasil, sequer sobrou a ilusão do próximo período carnavalesco e de fim de ano, já transcorrido, boicotado por salários baixos e, além e acima de tudo, com o espectro da Covid perambulando pelo grande território.

Não há soluções definidas e prontas para soluções em curto prazo. O novo governo, assentado há poucos dias, enfrentará uma guerra extensa e violenta em todos os quadrantes, enquanto os candidatos a cargos públicos na gestão recém-iniciada levantam as mãos e gritam: olha, eu aqui.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86583
De: Afonso Cláudio Data: Segunda 2/1/2023 20:00:54
Cidade: Montes Claros/MG

Milímetros de chuvas acumulados em Montes Claros nos últimos 5 anos

Ano / mm
1) 2018 / 1000; 2019 / 704 (mensagem 84440)
2) 2020 / 1132 (mensagem 85403)
3) 2021 / 1219 (sendo 509 mm no 1º semestre/mensagem 85727 e 710 mm no 2º semestre)
4) 2022 / 667 (sendo 295 mm no 1º semestre e 372 mm no 2º semestre)

Os itens 1 a 3 foram citados também na mensagem 86018, de 01/01/2022.
Fonte: mm publicados pelo montesclaros.com.
Média anual, conforme INMET, em 102 anos: 1053,7 mm.

Feliz 2023. Saúde e paz.
Afonso Cláudio
O2/01/2023, 19h55m

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86582
De: José Ponciano Neto Data: Segunda 2/1/2023 17:34:11
Cidade: Montes Claros- MG  País: Brasil

A ÁGUA EM MONTES CLAROS – 31 de Dezembro / 2022.

No último dia do ano de 2022, a Barragem da Copasa em Juramento MG contou com 64,48% da sua capacidade com 03,72 metros abaixo do nível normal. - Entretanto, tem previsão de encher neste período de chuva de Outubro/22 a Março/23.

Região de Juramento MG responsável por 45,8 % do abastecimento de Montes Claros, já choveu 432,2 milímetros de chuva desde 01 de Outubro/ 2022.
- O nível atual é maior que do mesmo período desde 2017

Montes Claros tem demanda em torno de 1100 litros por segundo, que é abastecida por VÁRIAS CAPTAÇÕES, sendo elas as MAIORES: Rio São Francisco em Ibiai-MG (foto) > Barragem de Juramento MG e Rio Pacuí em Coração de Jesus. Além de outras captações de MÉDIO porte, como: Rebentão dos Ferros > Lapa Grande e Barragem dos Porcos KM 07 - BR 365.

Neste período de chuva o Sistema Verde Grande é incrementado com a captação “Sazonal” situada no Rio Verde Grande em Riacho do Fogo, zona rural de Montes Claros.
FATO:

DIA DA CONFRATERNIZAÇÃO UNIVERSAL, OU DIA MUNDIAL DA PAZ, OU DIA DA FRATERNIDADE UNIVERSAL.
É comemorado em quase todo o mundo em primeiro de janeiro. Nesse dia, as pessoas trocam votos de alegria, de paz e de felicidade para o ano que se inicia.

Tradicionalmente há uma vigília na noite de 31 de dezembro, quando se comemora com muita festa a passagem do ano. Esse dia foi criado em 1968, pelo Papa Paulo VI, para que fosse celebrado pelos verdadeiros amigos da Paz, independente de credo, etnia, posição social ou econômica.

Não poderia haver data melhor. A cada ano que começa é como se zerássemos tudo e começássemos de novo.

Tudo pode ser esquecido e, sobretudo, perdoado, condição essencial para a paz.

Em uma época de tantos conflitos, de tanta desigualdade e sofrimento, o novo ano surge como uma possibilidade de fazermos tudo diferente e melhor. Além da paz mundial e da paz em nossa sociedade, precisamos também exercê-la.

- “Nenhum ano será realmente novo se continuarmos a cometer os mesmos erros dos anos velhos”.

XXXI -XI I – XXII
(*) JOSÉ PONCIANO NETO é Técnico em Recursos Hídricos /Meio Ambiente – Ex- Supervisor de Gestão de Barragens e supervisor de Estação Climatológica com tanques Classe A.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86581
De: Afonso Cláudio Data: Segunda 2/1/2023 10:25:43
Cidade: Montes Claros/MG

Pandemia do coronavírus

Comparações dos números de mortes por Covid-19 em 2021 e 2022

I) Brasil
Entre 30/12/2020 e 30/12/2021: 425.155
Entre 30/12/21 e 01/01/2023: 74.758
Redução de 82,4%
Fonte: OMS/JHU

II) Minas Gerais
Entre 30/12/2020 e 30/12/2021: 44.871
Entre 30/12/2021 e 30/12/2022: 7.792
Redução de 82,6%
Fonte: SES/MG

III) Montes Claros
Entre 30/12/2020 e 30/12/2021: 767
Entre 30/12/2021 e 30/12/2022: 103
Redução de 86,6%
Fonte:SES/MG

Início da pandemia: 11/3/2020
Início da vacinação: março/2021

Afonso Cláudio
02/01/2023, 10h10m
Ontem: Santa Maria, Mãe de Deus; Dia Mundial da Paz
Feliz 2023!

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86580
De: Manoel Hygino Data: Sábado 31/12/2022 07:57:18
Cidade: Belo Horizonte

Escoteiros sempre

Manoel Hygino

A iniciativa de George Washington de Oliveira Souza, no final de semana, na capital da República, visando fazer explodir um artefato nas proximidades do aeroporto, está sendo investigada no âmbito da polícia civil. O que demonstra que a autoridade pública está atenta aos acontecimentos, como não poderia deixar de ser.

Em depoimento à polícia, o indivíduo suspeito declarou que planejara com manifestantes nas proximidades do Quartel General do Exército, a instalação de explosivos, em, no mínimo, dois locais da cidade- sede do governo federal, desse equipamento para “dar início ao caos” que levaria à “decretação do estado de sítio no país, podendo assim provocar a intervenção das Forças Armadas”.

Em resumo, empresário, por vontade pessoal, um indivíduo de nacionalidade brasileira, decidiu intervir na vida do país, depois dos resultados eleitorais do pleito deste 2022, com os quais não concordara. Acrescentou, ele, ainda, outros pormenores do plano frustrado, com instalação de uma bomba na subestação de energia elétrica em Taguatinga e de explosivos em postes de iluminação, naquela cidade do Distrito Federal.

Para seus propósitos perversos, esperava contar com outros simpatizantes de sua ideia, graças ao que conseguiria o desfecho de uma tragédia no centro dirigente dos destinos nacionais.

O famigerado planejador confessou que, para seu projeto, utilizava seus próprios meios financeiros, e seria seguido por pessoas solidárias, inclusive para aquisição de armas como as de que dispunha e trouxera do Pará, estado em que reside.

Num país que se julgava pacífico e que atribuiria maquinações dessa espécie às esquerdas, o plano macabro e terrorista esclarece que também a direita estava disposta ao embate que convulsionaria o Brasil. Temos de ficar em alerta, como escoteiros da pátria, em todos os rincões e com qualquer idade.

O novo governo, deste modo, começa lidando com um problema, que considero grave e, além disso, que exige providências urgentes para que as consequências não sejam mais funestas. O imprescindível e inadiável é que nascemos cidadãos deste país que habitamos e em que nascemos sejam antes de tudo patriotas, o que vem faltando, ininterruptamente quase.

Em todo caso, cabe esperar com confiança e fé.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86579
De: José Ponciano Neto Data: Quinta 29/12/2022 16:30:44
Cidade: Montes Claros- MG  País: Brasil

O ESPORTE MUNDIAL PERDEU SEU MAIOR REPRESENTANTE NA ARTE DE JOGAR FUTEBOL

Morreu hoje 29 de Dezembro no Hospital Albert Einstein – São Paulo, aos 82 anos de idade vítima de um câncer de cólon - um dos maiores ícones do futebol mundial, Edson Arantes do Nascimento- “PELÈ”.

Informações sobre sua doença veio ao público no final de novembro/21, logo foi internado apresentando – segundo os médicos - um quadro de “anasarca” (inchaço generalizado) e uma “síndrome edemigêmica”, (edema generalizado) – quadros de comorbidades com que Pelé chegou ao hospital. Sendo essa doença a mesma que levou Erasmo Carlos.
Pelé vinha apresentando insuficiência cardíaca descompensada, além de ter contraído o vírus da Covid-19.

Infelizmente o organismo do “Rei Pelé” já não respondia aos tratamentos convencionais (quimioterapia e imunoterapia).
Foi-se um atleta e ficou a história!

Mineiro nascido em Três Corações e bauruense de criação, filho de João R. do Nascimento (dondinho) e de Dona Celeste – ainda viva com 100 anos. - Mal sabia ela (celeste) que fazendo jus ao seu nome iria dar luz a uma estrela do futebol.

Pelé deixa os filhos Sandra (in memorian), Flávia, Edinho, Kelly, Jennifer, Joshua e Celeste, além da enteada Gemina McMahon.

Abordar a trajetória do Pelé é muito difícil! Primeiro, por que todo mundo já sabe.

Sua vida particular não interessa aos adeptos do futebol.

Me restou a comentar foi que, infelizmente somente uma vez eu o vi jogar bola pessoalmente, foi no Mineirão em Setembro de 1969 – preparações para copa de 1970 - quando o Atlético Mineiro venceu a Seleção Brasileira por 2 x 1 com Pelé e todos – lembro que foi um gol de Pelé empatando 1 x 1 e Dario fez 2 x 1 – o primeiro gol marcado pelo o Atlético, não lembro.

Imagine, eu, um adolescente com 14 anos – conhecendo Belo Horizonte pela primeira vez – adentrando no Mineirão também, primeira vez e de presente assistir Pelé jogar – foi, e, é inesquecível!

Pelé foi Tri-campeão pela Seleção Brasileira em 1958 – 1962 e 1970, e outros importantes títulos como: Campeonato Brasileiro Série A: 1961, 1962, 1963, 1964, 1965, 1968. - Supercopa Sul-Americana: 1968. - Copa Libertadores da América: 1962, 1963.- Recopa dos Campeões Intercontinentais : 1968. - Copa Intercontinental: 1962, 1963.

Pelé fez parte de uma vitoriosa GERAÇÃO de BRILHANTES JOGADORES de futebol no Brasil, geração de negros, mestiços e brancos, pobres, que transformaram o futebol, numa instituição social, que ajudou a revelar e ainda revela os nossos preconceitos e as nossas exclusões sociais.

Todos jogadores, de sua época, como também os outros das gerações que se seguiram à dele, o consideram o maior e mais completo jogador do futebol do Brasil e no mundo, de todos os tempos.

sem dúvida, Pelé foi o rei do futebol - o atleta do século.

É considerado pela imprensa internacional o jogador mais completo de todos os tempos, símbolo das identidades brasileiras e jogador de referência em quase todo o mundo.

Simplesmente isso!

XXIX – XII - MMXXII

(*) José Ponciano Neto é um admirador da arte de Jogar bola e membro do Instituto Histórico e Geográfico de Montes Claros (IHGMC) e da Academia Maçônica de Letras do Norte de Minas (AMALENM).


Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86578
De: Manoel Hygino Data: Quarta 28/12/2022 09:33:11
Cidade: Belo Horizonte

Uma voz ao Sul

Manoel Hygino

Pode ser que esteja sendo vítima de pessimismo. Não é bem assim, mesmo vivendo em um período difícil do Brasil como nação, de país que abriga gente aqui nascida ou procedente de outros rincões do planeta. Mas os números e comentários de outros autores, que não eu, revelam a coincidência de pensamento e julgamento sobre temas marcantes da vida brasileira, sobretudo com as incertezas e rudezas da hora.

Mas, há também semelhança em termos de análise, e manifestação sobre autores daqui e dali. É o caso de Enéias Athanázio, do Balneário Camboriú, em Santa Catarina. Tornou-se personalidade da história local e estadual, pelo muito que já difundiu sobre a província de que um mineiro foi presidente em priscas eras. Refiro-me a Antônio Gonçalves Chaves, que já passara pela chefia dos destinos de Minas por duas vezes, sendo honrado com a direção dos negócios públicos da bela província do Sul.

Minas e Santa Catarina se apresentam de mãos dadas em oportunidades várias. Uma delas, aliás, graças a Enéas, ardoroso admirador da obra de Godofredo Rangel e de Monteiro Lobato, representantes das três unidades da Federação ligadas por escritores de nível nacional.

As qualidades indiscutíveis do autor de Santa Catarina foram, mais uma vez, há pouco, enaltecidas em “Opúsculo”, o articulismo cultural de Enéas Athanázio, do mineiro Guilherme Queiroz de Macedo, que focalizou o precioso conteúdo da obra do escritor catarinense.

Ele se explica: “Diante de 75 livros já publicados por Athanázio (60 livros e 15 opúsculos), é impossível, dentro dos limites de espaço, citarmos todas as obras. Gostaria de destacar as seguintes obras: a novela literária ‘A Liberdade fica Longe’ (2001, 2007), uma das obras que sintetiza como se constitui o leitor e o escritor, através do gosto e do prazer estético pela leitura e escrita literárias. Dentre as obras enviadas pelo autor destaco ainda ‘Vida Confinada’, relato de autoficção do autor sobre a sua trajetória estudantil em um colégio interno católico no final das décadas de 1940 e início da década de 1950 do século XX, a qual foi objeto de abordagem em dois artigos publicados no periódico “Escrituras Brasileiras” (2008). Outra interessante obra literária do autor, entre 1999 e 2001, foi o livro ‘Fazer o Piauí: crônicas do meio norte’ (2000), sobre o intercâmbio do autor com os autores e a vida cultural daquele estado, cujos frutos mereceram posteriormente outra obra, denominada ‘Meu Amigo, o Piauí’, lançada em 2008”.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86577
De: Afonso Cláudio Data: Segunda 26/12/2022 22:23:35
Cidade: Montes Claros/MG

Covid-19 em Minas e no Brasil
Fontes: Boletim Epidemiológico da Secretaria Estadual de Saúde de Minas Gerais e g1.com.br/coronavírus

I - Números de mortes em Minas

Comparando os números de mortes entre 5 a 12/12/22 com 19 a 26/12/22 (2 períodos de 7 dias), o Estado de Minas Gerais aumentou 140,7%, passando de 54 para 130 mortes entre os 2 períodos.
Na mensagem 86572, de 19/12/22, o aumento em Minas foi de 173,7%, passando de 57 para 156 mortes entre 2 períodos de 7 dias.

Quanto aos 10 municípios de maiores populações do Estado, a classificação das variações percentuais entre os 2 períodos, em ordem decrescente, ficou assim:
1º Juiz de Fora e Ipatinga: infinito (não tiveram mortes no 1º período). No 2º período tiveram 11 mortes e 1 morte respectivamente.
2º Uberlândia: +200,0% (passou de 2 para 6 mortes)
3º Belo Horizonte: +87,5% (passou de 8 para 15 mortes)
4º Betim e Governador Valadares: 0% ( nenhuma morte nos 2 períodos), Ribeirão das Neves (1 morte em cada período) e Uberaba (5 mortes em cada período)
5º Contagem: -33,4% (passou de 3 para 2 mortes)
6º Montes Claros: -100,0% (passou de 1 para 0 mortes)

II - Números de casos confirmados em Minas

No Estado houve aumento de 42,4%, passando de 30.973 para 44.124 casos entre os 2 períodos.
Na mensagem 86572, de 19/12/22, o aumento em Minas foi de 52,8%, passando de 27.727 para 42.360 casos.

Quanto aos 10 municípios de maiores populações do Estado, a classificação em ordem decrescente ficou assim:
1º Uberlândia: infinito (de 0 para 2.647 casos)
2º Belo Horizonte: +151,5% (de 1.626 para 4.090)
3º Ipatinga: +139,0% (de 392 para 937)
4º Governador Valadares: +39,9% (de 684 para 957)
5º Betim: +0,2% (de 1.035 para 1.037)
6º Contagem, Ribeirão das Neves e Uberaba: 0% (nenhum caso nos 2 períodos)
7º Montes Claros: -50,2% (de 1.169 para 582)
8º Juiz de Fora: -100,0% (de 1.159 para 0)

III - Números do Brasil
g1.com.br/coronavírus, 26/12/22, 20h18: "Brasil registra 79 novas vítimas de Covid e total passa de 693 mil".

Mortes
Total de mortes: 693.017
Registro de mortes em 24 horas: 79
Média de mortes nos últimos 7 dias: 146 (variação em 14 dias: +44%, 36 dias com tendência de alta)

Casos conhecidos
Total de casos conhecidos confirmados: 36.202.186
Registro de casos conhecidos confirmados em 24 horas: 29.697
Média de novos casos nos últimos 7 dias: 36.924 (variação em 14 dias: +11%, tendência de estabilidade)

Médias de mortes nos Estados
Subindo: 16 Estados (Minas Gerais é um deles)
Em estabilidade: 6 Estados e o DF
Em queda: 4 Estados

Manchetes:
g1.globo.com, 19/12/22: "Covid-19: China tem filas em crematórios após suspender restrições".
g1.com.br/coronavirus, 20/12/22: "Risco de novas variantes e de falta de insumos médicos: como a onda de Covid na China pode afetar o Brasil".
Jornal da Band, 21/12/22: "Surto de Covid - OMS está `muito preocupada` com a China".

Considerando os aumentos percentuais de mortes (140,7%) e de casos confirmados (42,4%) em Minas Gerais e nos municípios acima citados, bem como as informações do g1.com.br/coronavírus, de hoje (mortes com tendência de alta e casos com tendência de estabilidade) e as manchetes acima, permanecem as sugestões da mensagem 86572, de 19/12/22, principalmente para os idosos e os que têm comorbidades:
- atualizar/completar a vacinação
- evitar aglomerações
- usar máscara, principalmente em ambientes fechados
- higienizar sempre as mãos com água e sabão ou álcool em gel

Saúde e paz
Afonso Cláudio
26/12/22, 22h11m - Santo Estêvão, primeiro mártir.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86576
De: montesclaros.com Data: Domingo 25/12/2022 07:22:29
Cidade: M. Claros

Em 1901, há 121 anos, o grande Joaquim Maria Machado de Assis publicou o célebre soneto. Desde então, todos fazem a mesma pergunta:



Soneto de Natal

Um homem, — era aquela noite amiga,
Noite cristã, berço do Nazareno, —
Ao relembrar os dias de pequeno,
E a viva dança, e a lépida cantiga,

Quis transportar ao verso doce e ameno
As sensações da sua idade antiga,
Naquela mesma velha noite amiga,
Noite cristã, berço do Nazareno.

Escolheu o soneto . . . A folha branca
Pede-lhe a inspiração; mas, frouxa e manca,
A pena não acode ao gesto seu.

E, em vão lutando contra o metro adverso,
Só lhe saiu este pequeno verso:
"Mudaria o Natal ou mudei eu?"

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86575
De: Manoel Hygino Data: Sábado 24/12/2022 07:56:31
Cidade: Belo Horizonte

Minas, como ela é

Manoel Hygino

De querida senhora da sociedade de minha terra natal, Montes Claros, recebi a pergunta: “O que você acha que vai ser do nosso amado Brasil daqui para frente? Estou muito angustiada quanto aos acontecimentos nacionais”. O desembargador Rogério Medeiros me ajuda na resposta, citando Alceu Amoroso Lima, na revista “MagisCultura”: “As montanhas de Minas Gerais limitam os horizontes e os habitantes vivem de forma tranquila e pressa. Os mineiros são ensimesmados e meditativos”.

Affonso Romano de Sant’Anna observa: “Minas é um modo de ser e de estar”. A riqueza de Minas está inscrita no seu próprio nome – é um estado plural. Plural de montanhas, plural de minérios e de mineiros (...). “Os mineiros se divertem a si mesmos e aos demais falando da “mineiridade” (sabedoria) e da “mineirice” (esperteza)”.

Na política, Benedito, Alkmim e Tancredo Neves ilustram esse anedotário. E outros se especializaram nessa irônica interpretação, como Guimarães Rosa, Drummond e Fernando Sabino. O próprio genro de Benedito Valadares, governador de Estado quando nos demais eram interventores, o que explica o jeito e a maneira de ser mineiro: “Ser mineiro é esperar pela cor da fumaça. É dormir no chão para não cair da cama. É plantar verde pra colher maduro. É não meter a mão em cumbuca. Não dar passo maior que as pernas. Não amarrar cachorro com linguiça. Porque mineiro não prega prego sem estopa. Mineiro não dá ponto sem nó. Mineiro não perde trem (...). “Evém mineiro. Ele não olha: espia. Não presta atenção: vigia só. Não conversa: confabula. Não combina: conspira. Não se vinga: espera. Faz parte do decálogo, que alguém já elaborou. E não enlouquece: piora. Ou declara, conforme manda a delicadeza. No mais, é confiar desconfiando. Dois é bom, três é comício. Devagar, que eu tenho pressa (...). Um Estado de nariz imenso, um estado de espírito: um jeito de ser. “Manhoso, ladino, cauteloso, desconfiado – prudência e capitalização”.

Assim sendo, o homem de Minas deixa a viola da seresta e parte sem temor para uma revolução, como se fossem assemelhados. O que mineiro não aprova é perder a namorada ou uma batalha. Basta conferir na história, também varia em muitos setênios. Como disse Drummond, poeta e mineiro, “o Estado mais conservador da União abriga o espírito mais livre, porque a aparente docilidade esconde reservas de insubmissão, às vezes convertida em ironia”.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86574
De: Afonso Cláudio Data: Sábado 24/12/2022 06:59:07
Cidade: Montes Claros/MG

Covid-19 em Montes Claros

Boletim Epidemiológico da Secretaria Municipal de Saúde informou ontem, 23/12/22, que foram registrados 511 novos casos da doença entre 17 e 23/12
Em relação ao Boletim de 16/12, que registrou 835 novos casos, houve redução de 38,8%.
Em relação ao Boletim de 9/12, que registrou 1.343 novos casos, houve redução de 62,0%.
Entre 17 e 23/12 não houve registro de óbitos, permanecendo 1.092 neste município, desde o início da pandemia.

Feliz Natal, com saúde e paz.
Afonso Cláudio
24/12/22, 6h52m

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86573
De: Manoel Hygino Data: Quarta 21/12/2022 09:18:46
Cidade: Belo Horizonte

Quando Jesus nasceu

Manoel Hygino

Quem desejar conhecer mais a Bíblia sem se arvorar a dizer-se especialista, poderá seguir o meu exemplo: recorrer a “O livro de curiosidades da Bíblia”, de Pedro Rogério Moreira, ex-correspondente da Globo na Amazônia, embora uma coisa nada tenha a ver com a outra. O escritor, filho do ex-presidente da Academia Mineira de Letras, Vivaldi Moreira, e que lá o substituiu, esclarece sobremaneira quando se tem necessidade.

Como estamos na semana natalina, resolvi consultar Pedro Rogério sobre o aniversário de Jesus. Ele respondeu incontinenti: Os evangelistas não informaram o dia, nem o ano, do nascimento do mestre. As pesquisas documentais e astronômicas mais atuais, algumas baseadas em referências históricas encontráveis nos Evangelhos, mesmo as meteorológicas e cômicas (como a aparição do cometa tido como a Estrela de Belém), informam que Jesus deve ter nascido no fim do ano de 748 de Roma, correspondente ao ano 6 da Era Cristã. Já é algo de precioso chegar-se à conclusão.

Mas o escritor se julgou no dever de também perguntar: Por que a diferença entre o antigo calendário romano e o calendário cristão? Ele explica: Culpa cabe a um monge, chamado Dionísio, o Exíguo, a quem a Igreja solicitou que ficasse a data de nascimento de Jesus. E, segundo a “Vida de Cristo”, de Ricciotti, o Exíguo errou no cálculo astronômico, fixando-o no ano 753, e o mundo moderno aceitou e perpetuou o erro.

Outro pormenor que se aprende: Os chamados reis que foram adorar o Menino Jesus em Belém não eram soberanos, mas magos - segundo o único evangelista a mencioná-los, em Mateus 2.1. A interpretação dos estudiosos indica que eram astrônomos persas procedentes do Oriente, ou seja, sacerdotes do zoroastrismo.

Mais um pormenor: o evangelista não diz que eram três, nem os seus nomes não são citados. O Belchior, Baltazar e Gaspar foram dados pelo folclore dos primeiros séculos da cristandade, e os nomes “pegaram” e usados até este século XXI.

Para finalizar: o profeta Isaías foi quem denominou o Cristo, na sua antevisão do nascimento do Menino Jesus: “Nasceu para nós um menino; o nome que lhe foi dado é Pai dos tempos futuros, Príncipe da Paz”.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86572
De: Afonso Cláudio Data: Segunda 19/12/2022 14:50:39
Cidade: Montes Claros/MG

Covid-19 em Minas Gerais
Fonte: Boletim Epidemiológico da Secretaria Estadual de Saúde de Minas Gerais

Comparação antes e depois da Copa do Catar

I) Números de mortes

Comparando os números de mortes entre 28/11 a 5/12/22 com 12 a 19/12/22 (2 períodos de 7 dias), o Estado de Minas Gerais aumentou 173,7%, passando de 57 para 156 mortes entre os 2 períodos.
Na mensagem 86532, de 18/11/22, o aumento em Minas foi de 37,5%, passando de 8 para 11 mortes entre 2 períodos de 7 dias.

Quanto aos 10 municípios de maiores populações do Estado, 3 tiveram variações percentuais iguais a infinito (não tiveram mortes no 1º período). No 2º período: Betim 2 mortes, Uberaba 1 e Governador Valadares 1, ficaram no 1º lugar em ordem decrescente.
Os demais 7 municípios foram classificados assim:
2º Ribeirão das Neves +300%; 3º Juiz de Fora e Uberlândia +200%; 4º Belo Horizonte +50%; 5º Montes Claros e Ipatinga 0%; 6º Contagem -66,7%

II) Números de casos confirmados

No Estado houve aumento de 52,8%, passando de 27.727 para 42.360 casos entre os 2 períodos.
Na mensagem 86532, de 18/11/22, o aumento em Minas foi de 329,6%, porém os números absolutos foram muito inferiores aos de hoje (passaram de 753 para 3.235 casos entre 2 períodos de 7 dias), o que alerta, mais uma vez, quanto à necessidade de se atualizar/completar a vacinação contra o coronavírus, evitar aglomerações, usar máscara em ambientes fechados e higienizar sempre as mãos, principalmente os idosos e com comorbidades.

Quanto aos 10 municípios de maiores populações do Estado, a classificação das variações percentuais, em ordem decrescente, ficou assim:
1º Uberlândia: infinito (de 0 para 4.653 casos)
2º Ipatinga: +54,8% (de 336 para 520)
3º Belo Horizonte: + 53,5% (de 2.923 para 4.486)
4º Contagem, Juiz de Fora, Ribeirão das Neves e Uberaba: 0%; não foram registrados casos nos mesmos, nos 2 períodos.
5º Governador Valadares: -27,3% (de 644 para 468)
6º Montes Claros: -38,8% (de 1.757 para 1.076)
7º Betim: -92,5% (de 973 para 73)

Saúde e paz.
Afonso Cláudio
19/12/22, 14h46m.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86571
De: Afonso Cláudio Data: Sábado 17/12/2022 09:03:45
Cidade: Montes Claros/MG

Casos e óbitos por Covid-19 em Montes Claros

Boletim Epidemiológico da Secretaria Municipal de Saúde de Montes Claros informa que 835 novos casos da doença foram registrados entre 10/12/22 e 16/12/22 (7 dias).
O penúltimo Boletim, de 09/12/22, informou 1.464 novos casos. Portanto houve redução de 43,0% nesta semana.
Em relação a 2 semanas atrás houve redução de 40,6%. O número de casos passou de 1.405 para 835.
Em relação a 3 semanas atrás a redução foi de 48,6%. O número de casos passou de 1.624 para 835.
Desde o início da pandemia o número de casos de Covid-19 confirmados em Montes Claros chega a 95.766.
O número de óbitos, que era de 1.091 até 09/12/22, passou para 1.092 nesta semana.

Que os novos casos continuem reduzindo em Montes Claros e o número de novos óbitos fique sempre igual a zero.
Mas os cuidados contra a Covid-19 não podem ser desprezados.
Devemos sempre analisar as informações e orientações divulgadas pelas Secretarias Municipal e Estadual de Saúde e pelo Ministério da Saúde, bem como pelos meios de comunicação.
Ontem mesmo a mensagem 86569 mostrou que a evolução dos novos casos e dos óbitos indicam tendência de alta no Brasil e que apenas 3 Estados, de um total de 26+DF, estão em queda em nosso país.

Saúde e paz.
Afonso Cláudio
17/12/22, 8h57m.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86570
De: Manoel Hygino Data: Sábado 17/12/2022 07:26:44
Cidade: Belo Horizonte

O novo limiar

Manoel Hygino

Estamos no limiar de um novo ano. Limiar é uma palavra bonita, curta e sonora. É a porta de entrada, o começo, princípio. Realmente 2022 se está esvaindo, agonizante. Depois do fracasso fragoroso do Brasil, disputa de uma competição de esporte em que era considerado um dos maiores do mundo, tudo parece gris, cinzento, sobretudo para este povo que se formou no hemisfério Sul da América e sonhou com o melhor e mais promissor.

E o escritor português Camilo Castelo Branco anotou em romance: “Não te digo que faças confissão pública dos teus erros, no limiar da Igreja”, a que outro conterrâneo acrescentaria: “Antes de qualquer ideia de desconfiança, coloque a sua comoção no limiar do raciocínio”, algo que soa como uma espécie de aconselhamento aos que alimentavam na Copa a expectativa de bom sucesso.

Num mundo em que perpassam tantas incertezas, um novo começo é sempre portador de desconfiança. Daqui a pouco, instala-se um governo gerado por uma terrível dicotomia política, por polarização jamais tão poderosa após a Revolução de 1930 e, depois, pelos efeitos da de 1964, sobre a qual tanto se discute sem resultar em propostas positivas práticas.

O que nos reserva a História depois dos acirrados debates eleitorais de 2022? O mundo atravessa difícil processo de tentativas de refazer-se no campo político, econômico, geográfico e social.

Ainda persistem sinais de desavenças que podem conduzir a enfrentamentos bélicos, que admitem até a ação nuclear.

Estamos numa terrível encruzilhada em que a guerra da Rússia contra a Ucrânia se tornou apenas uma experiência mal sucedida de conquistar quinhões de terra para favorecimento dos mais poderosos e ambiciosos.

Segundo advertiu recentemente o jornalista Aylê-Salassié, o mundo poderá entrar em guerra logo. Os mandões nos países de maior expressão territorial e forças militares desdenham as consequências, protegidos pelos aparelhos do Estado. Quem vai sentir a sua cidade destruída, sua casa invadida, fugir das bombas e morrer é a população civil. Em um cenário como esse, a palavra perde o sentido assim como o cidadão os direitos enraizados na cultura e a própria terra de origem.

Os líderes, perversos não se comprometem a respeitar limites, o próprio planeta, sem pensar na destruição e desolação que causam.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86569
De: Afonso Cláudio Data: Sexta 16/12/2022 13:55:58
Cidade: Montes Claros/MG

Pandemia do coronavirus

Tendo classificado as variações percentuais dos números de mortes dos 10 primeiros países da classificação da Organização Mundial de Saúde, verifiquei que o Brasil hoje é o primeiro e pior colocado, em ordem decrescente, com 61,7% de aumento, passando de 603 mortes entre 25/11 e 2/12/22, para 975 mortes entre 9 e 16/12/22.

Dados do Brasil e do Mundo hoje, desde o início da pandemia:
Brasil: Mortes 691.652; Casos confirmados 35.809.832
Mundo: Mortes 6.662.225; Casos confirmados 652.047.166
Fonte: OMS/JHU, 16/12/22, 8h24m.

Médias diárias de mortes do Brasil no 2º período; fonte:OMS
11 a 18/11: 33
18 a 25/11: 72
25/11 a 2/12: 86
2 a 9/12: 105
9 a 16/12: 139

Médias diárias de mortes do Brasil; fonte: g1.com.br/coronavirus
17/11: 32
24/11: 73
01/12: 86
9/12: 101
16/12: 128

Casos confirmados no Brasil; fonte: OMS
Entre 25/11 e 2/12: 196.896
Entre 9 e 16/12: 278.116
Aumento de 41,2%.

Manchete:

g1.com.br/coronavirus, 15/12/22, 20h09m, atualizado há 16h: "Brasil registra 196 vítimas de Covid; média de mortes é a mais alta desde agosto."
Total de mortes: 691.632
Registro de mortes em 24 horas: 197
Média de mortes nos últimos 7 dias: 128 (variação em 14 dias: +42%, tendência de alta pelo 24º dia seguido)
Total de casos conhecidos confirmados: 35.761.481
Registro de casos conhecidos em 24 horas: 47.230
Média de novos casos nos últimos 7 dias: 37.241 (variação em 14 dias: +39%, tendência de alta).

Médias de mortes dos Estados:
Subindo: 15 Estados (Minas Gerais é um deles)
Em estabilidade: 4 Estados e o DF
Em queda: 3 Estados
Não divulgaram até 20h: 4 Estados

Saúde e paz.
Afonso Cláudio
16/12/22, 13h46m - Santa Luzia (13/12)

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86568
De: Manoel Hygino Data: Terça 13/12/2022 08:56:39
Cidade: Belo Horizonte

As capitais

Manoel Hygino

Belo Horizonte faz aniversário. São 125 anos desde sua inauguração naquele memorável 12 de dezembro de 1897, quando as atenções da República para cá se transportaram. Foi uma extensa campanha para a transferência da sede da capital do Estado para onde finalmente ela se implantou.

O historiador Waldemar de Almeida Barbosa, que para que veio 1927, sublinho como se deu a importante medida, que constituiu verdadeira guerra que os ouro-pretanos se moveram contra a mudança. Uma comissão foi obrigada a ir ao Rio para procurar o Marechal Deodoro, presidente da República, para pedir sua interferência no sentido de impedi-la.

Tamanho e tão sério ambiente de hostilidade da antiga Vila Rica contra os mudancistas, que o Congresso Mineiro se viu coagido a funcionar em Barbacena, a fim de decidir livremente.

Mas o que é mais valioso, como ressalta Almeida Barbosa, é que a providência, isto é, a transferência, teve o mérito de salvar Ouro Preto. Caso a capital tivesse lá permanecido, a criação de órgãos administrativos, a ampliação de empreendimentos indispensáveis à gestão pública, teriam resultado no sacrifício de notáveis edificações arquitetônicas antigas, além de relíquias artísticas e históricas.

São eles, aliás, que fazem da velha cidade, mais uma vez sob a direção do Prefeito Ângelo Osvaldo de Araújo Santos, a maravilha que atrai e recebe visitantes de todo o país e do exterior. Se Ouro Preto é, ainda hoje, o que é, deve-o inegavelmente a Belo Horizonte. A nova metrópole se tornou uma espécie de anjo salvador de Vila Rica, sucessora de Mariana como sede do governo.

Daí, a responsabilidade social do belo-horizontino ao zelar pela nova capital. Está, por via de consequência, contribuindo para preservar o notável legado que o passado atribuiu à antiga capital, de insuperável grandeza como reconhecido por organismos internacionais.

Não sem razão, Bouvard, chefe do serviço de urbanismo de Paris, declarou, em 1911, que cabe “aos poderes públicos apenas respeitar seu plano, e prosseguir na obra inteligentemente delineada”.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86567
De: José Ponciano Neto Data: Terça 13/12/2022 09:34:25
Cidade: Montes Claros- MG  País: Brasil

REI DO BAIÃO

Há 110 anos 13 de Dezembro de 1912 –

Nascia na fazenda Caiçara - no sopé da Serra do Araripe - município de Exu, Estado de Pernambuco, divisa com os estados do Ceará e Piauí. Luiz Gonzaga do Nascimento.

Gonzagão foi o segundo de nove filhos do casal Januário José dos Santos e de Ana Batista de Jesus - que na pia batismal da matriz da cidade de Exu, recebe o nome de "Luiz" (por ser dia de Santa Luzia) "Gonzaga" (por sugestão do vigário) e "Nascimento" (por ter nascido em dezembro, também mês de nascimento de Jesus Cristo).

Em 1971 o Ir.’. Luiz Gonzaga foi iniciado na Loja Maçônica Paranapuan n°1447 - GOB- Rio de Janeiro - RJ.

O Rei do Baião foi responsável pelo desbravamento da maçonaria no Brasil, em especial no Sertão Nordestino. Região que na época resistia no avanço da maçonaria pelo norte e nordeste do país devido à equivocada “concepção” dos religiosos – tanto os católicos, quanto os evangélicos.

XIII – XII – MMXXII
(*) José Ponciano Neto é membro do Instituto Histórico e Geográfico de Montes Claros – IHGMC e membro da Academia Maçônica de Letras do Norte de Minas - AMALENM.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86566
De: Afonso Cláudio Data: Segunda 12/12/2022 07:11:39
Cidade: Montes Claros/MG

Correio Braziliense, 09/12/22, 22h37m: "Três pessoas morreram ao serem atingidas por um fio de alta tensão na noite de sexta-feira (9/12), na QNP 24 de Ceilândia."
"Segundo informações preliminares do Corpo de Bombeiros (CBMDF), chovia muito quando um fio de energia elétrica energizado caiu sobre um carro e três pedestres."

Notícia extremamente triste, causando muita comoção aos familiares, amigos e aos demais brasileiros.
Poderíamos imaginar e citar possíveis causas do acidente como, por exemplo:
- a chuva intensa era acompanhada de ventos fortes e o fio ou cabo condutor de energia não resistiu ao esforço mecânico a que foi submetido, rompendo e caindo energizado sobre os três pedestres e o carro.
- houve (?) descarga atmosférica (raio) que atingiu aquele trecho do circuito elétrico da rede de distribuição, o que poderia ter provocado o rompimento do condutor energizado, resultando em curto-circuito fase-terra.
- como atuou a proteção automática do circuito, por religadores e/ou disjuntores coordenados? ou não atuou?
- a manutenção preventiva e corretiva do circuito estava em dia?

Mas a análise completa da ocorrência será feita pela empresa responsável pela operação e manutenção da rede de distribuição daquela região administrativa e pela Polícia Civil do Distrito Federal.
Portanto, só após a conclusão dessas análises e o diagnóstico definitivo das causas do acidente, teremos certeza do que contribuiu para essa tragédia.
Até lá, continuam as sugestões como as da mensagem 86548, de 30/11/22, sobre "Prevenção de acidentes em tempestades", por exemplo: "Importante também que as populações sempre evitem transitar pelas cidades durante tempestades, com chuvas tão fortes como as que vêm ocorrendo, incluindo granizo, quedas de árvores, riscos provocados por descargas atmosféricas, rompimentos de cabos das redes de energia elétrica, alagamentos, inundações e deslizamentos de encostas.
Procure ficar em locais seguros, abrigado, protegido e, depois que a tempestade passar, volte à vida normal, com segurança."

Afonso Cláudio de Souza Guimarães - Engenheiro Eletricista
12/12/2022, 6h56m - Nossa Senhora de Guadalupe; 125 anos da fundação de Belo Horizonte

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86565
De: Afonso Cláudio Data: Sábado 10/12/2022 10:53:58
Cidade: Montes Claros/MG

Casos e óbitos por Covid-19 em Montes Claros

Boletim Epidemiológico da Secretaria Municipal de Saúde de Montes Claros informa que 1464 novos casos da doença foram registrados entre 3/12/22 e 9/12/22.
O penúltimo Boletim, de 2/12/22, informou 1405 novos casos. Portanto houve aumento de 4,2% nesta semana.
Em relação a 2 semanas atrás houve redução de 9,9%. O número de casos passou de 1624 para 1464 casos.
Desde o início da pandemia o número de casos de Covid-19 em Montes Claros chega a 94.931.
O número de óbitos, que era de 1090 até 2/12/22, passou para 1091 nesta semana.

Saúde e paz.
Afonso Cláudio
10/12/22, 10h48m

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86564
De: José Ponciano Neto Data: Sábado 10/12/2022 10:15:33
Cidade: Montes Claros- MG  País: Brasil

10 de Dezembro - Dia do Palhaço.

Antigamente, quando o circo chegava às cidades, as crianças cantavam nas ruas: - Hoje tem goiabada? Tem sim senhor! O palhaço o que é? É ladrão de mulher! Que história é essa? Ladrão de mulher?

Nada disso!

O palhaço é apenas o ladrão da tristeza, o mensageiro da alegria.
Com seu nariz vermelho, seu colarinho folgado, a boca enorme, as botas desencontradas, uma em cada direção, ele transforma o mundo NUMA bola colorida de modo todos podem jogar, pobres e ricos, feios e bonitos.

- É O mundo encantado da alegria!

Salve, salve!!

X - XII - XXII
(*) José Ponciano Neto é um admirador da Arte

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86563
De: Manoel Hygino Data: Sábado 10/12/2022 06:43:32
Cidade: Belo Horizonte

Sem nada para frente

Manoel Hygino

Um ano não apropriado à eleição para quem já está no poder. O presidente, cujo mandato está agonizante, que o diga. Bastaria lembrar que se computavam 33 milhões o número de pessoas passando fome. Mas recentemente, independente de Copa do Mundo, fica-se sabendo mais em torno de um problema essencial. Morrer por falta de comida na terra de Canaã não é algo admissível.

O IBGE revelou que, no ano passado, 62,5 milhões de habitantes do país eram considerados pobres. Isso significa 29,4% da população total, que anda pelos 212,6 milhões. É muita gente, mas se deve advertir que, dos mais de 62 milhões de apenados por falta de alimento indispensável, 17,9 milhões viviam em situação de extrema pobreza, correspondendo a 8,4% da população geral.

Dá dó, e ainda se deve levar em conta que ONGs, instituições filantrópicas e famílias bem intencionadas oferecem cestas básicas solidariamente, além de empresas que propiciam esse benefício a seus empregados. Os dados mencionados, aliás, refletem um quadro que se vem repetindo desde 2012, como ressalta a fonte.

Agência noticiosa enfatiza que esses números deprimentes equivalem à população inteira do Estado do Paraná. E não é invenção de mentes interessadas em divulgar o que é ruim ou humilhante; são informações emanadas de instituição digna de confiança e oficial.

De fato, o IBGE levanta os dados e analisa estatísticas em específicas áreas, como padrão de vida, trabalho e saúde, visando oferecer suporte técnico para as ações de governo. O Instituto observa que a evolução negativa para os carentes resultam da diminuição dos valores de socorro, a despeito da propaganda exposta principalmente pelas televisões.

Por outro lado, o crescimento de percentuais negativas de pessoas assistidas provenha da retomada incompleta do mercado de trabalho. Em resumo, o retorno das atividades econômicas não foi suficiente para impedir a perda de rendas e salários à época. Há mais um dado que se deve expor: o percentual de crianças de até 14 anos abaixo da linha de pobreza alcançou 46,2% no Brasil, o que é extremamente desalentador e inquietante. Como se comportará esse continente humano a partir das idades seguintes?

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86562
De: Afonso Cláudio Data: Quinta 8/12/2022 18:24:20
Cidade: Montes Claros/MG

Vídeo: A "onda de água", em BH
Quinta 08/12/22 - 9h52

Temporais na Região Metropolitana de Belo Horizonte

As imagens são extremamente eloquentes.
Como disse nas mensagens que escrevi em janeiro de 2020*, essas enxurradas que acontecem durante as fortes chuvas que caem sobre Belo Horizonte são verdadeiros tsunamis.
E infelizmente não há progresso na solução de problema tão sério, tão grave, que coloca em alto/altíssimo risco as populações da RMBH, com ameaça à vida das pessoas e prejuízos enormes aos seus bens móveis e imóveis.
Antes da primeira metade dos anos 90 esses dilúvios, geradores de correntezas volumosas e fortíssimas, de alagamentos e inundações, bem como os frequentes deslizamentos de morros eram praticamente inexistentes na RMBH.
De 30 anos para cá as obras civis de canalização de córregos, que prejudicam a infiltração da água de chuva no solo, somaram-se às mudanças climáticas, chegando a esta situação tão desequilibrada, descontrolada e grave, que se repete sempre nos períodos chuvosos.
Até que tais dificuldades sejam superadas é necessário que as pessoas procurem evitar circular pelos locais de maior risco, aguardando que os temporais passem.
E busquem o apoio da Defesa Civil, Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, Prefeituras, Cemig etc.
E que Nossa Senhora da Imaculada Conceição, com inúmeros devotos na RMBH, abençoe e proteja os habitantes e transeuntes dessa região e do nosso Estado.

*mensagem 84490, de 29/01/2020
mensagem 84503, de 03/02/2020

Afonso Cláudio
08/12/2022 - 18h17m




Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86561
De: Afonso Cláudio Data: Quarta 7/12/2022 19:45:29
Cidade: Montes Claros/MG

56 anos da Taça Brasil

Há exatos 56 anos o Cruzeiro Esporte Clube conquistou em São Paulo, no Estádio do Pacaembu, a Taça Brasil.
Assisti no Mineirão a primeira partida da decisão: Cruzeiro 6×2 Santos, em 30/11/1966, com público de 77.325 pessoas.
Na semana seguinte, em 7/12/1966, vi ao vivo pela TV: Cruzeiro 3x2 Santos.
A Taça Brasil de 1966 é o primeiro título brasileiro de futebol do Cruzeiro, que conquistou outros 3 campeonatos nacionais, no sistema de pontos corridos, em 2003, 2013 e 2014.

Afonso Cláudio
7/12/22, 19h41m

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86560
De: Afonso Cláudio Data: Quarta 7/12/2022 10:48:56
Cidade: Montes Claros/MG

Dengue, zika e chikungunya

Noticias sobre a dengue alertam que, entre janeiro e novembro de 2022, houve aumento de 340% nos casos e de 950% nas mortes, no Estado de Minas Gerais, em comparação com o mesmo período de 2021.
Casos passaram de 15 mil para 66 mil e mortes de 6 para 63.
O período crítico da doença ainda está por vir e, além da dengue, o mosquito aedes aegypti transmite a chikungunya e o zika vírus.
Portanto, a prevenção contra a proliferação do mosquito, amplamente divulgada, é importantíssima e devemos tomar as providências recomendadas pelas autoridades sanitárias com todo o empenho.

Afonso Cláudio
7/12/22, 10h41m

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86559
De: José Ponciano Neto Data: Quarta 7/12/2022 09:44:48
Cidade: Montes Claros- MG  País: Brasil


DIA DO PAU-BRASIL

SETE DE DEZEMBRO -

- O pau-brasil é conhecido pelos brasileiros devido ao fato de ter originado o nome do nosso país, pelo ciclo econômico que ele representou ou pela grande ameaça de extinção que existe sobre ele.

Sem dúvida, o Pau-brasil representa um marco histórico do país, e, no entanto, poucos têm conhecimento sobre seu ciclo econômico, as implicações históricas envolvidas e também suas características botânicas.

Embora sem comprovação efetiva... prevalece entre pesquisadores a convicção de que a própria “caravela” que levou a notícia do descobrimento a D. Manuel havia carregado centenas de toras de pau-brasil para Portugal.

Na Holanda do século XVI, os presos odiava ouvir falar em pau-brasil.

Sabe por quê? Lá, as toras eram reduzidas a pequenos fragmentos e raspas pelos presos nas casas de detenção e, nesse estado (micro-serragens), entregues às tinturarias.

PAU-BRASIL- um nome em cada Porto Ancoradouro:

Nos países de língua francesa, ele é chamado de Bois de Brésil e de Bresillet de Pernambuco.

Nos países de língua inglesa, ele é conhecido por Brazil-wood, Pernambuco-wood, Lima-wood, Nicarágua-wood, peach-wood, sapam-wood ou bukkum-wood.

Na Argentina, o chamam de pinango.

Na Índia, de sapam.

E na Espanha, seus nomes são palo Brazil ou palo de Santa Marta.

Botanicamente - SÓ EXISTE uma espécie de Pau-brasil, conhecida por “CAESALPINIA ECHINATA LAM”. - Embora outras espécies de árvores sejam erroneamente chamadas de pau-brasil - simplesmente por apresentar algumas semelhanças com a planta verdadeira.

São, assim, os chamados “falsos paus-brasil”.

Dentro da espécie “Caesalpinia echinata” - o que pode ocorrer são variedades ou raças geográficas que apresentam pequenas diferenças morfológicas na forma e na quantidade de acúleos (espinhos) e no tamanho dos folíolos e pinas (parte das folhas).

Atualmente algumas pesquisas estão sendo realizadas no Jardim Botânico do Rio de Janeiro, na Ceplac (BA) e na Embrapa (DF) em vistas de esclarecer essas controvérsias. Pau-brasil: poesia de exportação.

Em 1924 na capital da França – Paris. O escritor carioca Oswald de Andrade lançou o manifesto da Poesia Pau-brasil. A relação do “manifesto poético” com nossa árvore símbolo diz respeito ao fato de ter sido o pau-brasil nosso primeiro produto de exportação - desejando Oswald, então, criar a primeira poesia de exportação brasileira - a poesia pau-brasil. (rt)

Quando criança, lembro-me que plantaram uma verdadeira “Caesalpinia echinata Lam” (pau-brasil) ao lado do Ginásio Darcy Ribeiro na Praça de Esportes. A muda foi trazida do Estado do Espírito Santo por uma “grã-fina” da época, que não me recordo o nome. Foi durante um evento esportivo e visitas das escolas.

PS: Tem muitas Ong `s distribuindo e plantando as falsas “espécies” de Pau Brasil – inclusive em nossa cidade.

VII – XII - XXII
(*) José Ponciano Neto é Historiador – Escritor do IHGMC - AMALENM e Técnico em Meio Ambiente Urbano e Natural.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Página Anterior >>>

Abra aqui as mensagens anteriores: